Emicida compara Gil do Vigor a “uma flor desabrochando no concreto”

O ex-BBB participou do 'Papo de Segunda' (GNT), programa que o rapper apresenta

Por: David Mesquita | 18 maio - 18:17

Uma aula da famosa coreografia ‘tchaki tchaki’ foi um dos pontos altos da participação do ex-BBB Gil no programa ‘Papo de Segunda’ (GNT).

No programa desta segunda-feira (17), o economista comentou sobre a sua trajetória no reality show competitivo da Globo e fez críticas à homofobia.

Três dos apresentadores, Francisco Bosco, João Vicente de Castro e Fábio Porchat, seguiram descontraídos a coreografia que virou marca registrada de Gil durante o reality show.

Apenas Emicida, que participava virtualmente da conversa, não dançou. “O Emicida não gostou do tchaki tchaki, o Brasil tá lascado”, contou Gil, usando um bordão que ficou conhecido durante sua participação no BBB21.

Mas, apesar de não ter dançado, Emicida foi o responsável por uma definição que chamou a atenção nas redes sociais. Ele comparou o pernambucano a “uma flor desabrochando no concreto”.

Para o rapper, muitos se perderam no BBB21 e o economista se encontrou. Emicida disse que Gil ofereceu a todos uma forma doce de fazer revolução.

O ex-BBB também comentou sobre o ataque homofóbico de que foi vítima por meio de um áudio de um conselheiro do Sport Clube do Recife. O clube repudiou o fato. Para Gil, esse episódio pode ter contribuído para chamar a atenção para uma pauta importante.

“A gente vive uma realidade no Brasil em que muitos já lutaram e deram a vida por isso”, disse Gil. “Ao saber que, mesmo sofrendo, consegui trazer esse debate ainda mais forte para as pessoas, para mim está tudo certo”, acrescentou o ex-BBB.

Ao falar sobre sua trajetória, Gil do Vigor lembrou que muitas vezes sofreu agressões homofóbicas e não tinha a quem recorrer. No BBB21, segundo ele, sua missão foi a de dar visibilidade a quem “grita, grita, grita e ninguém ouve”.

Gil contou que no passado sentia a necessidade de não parecer afeminado e chegou a treinar para isso. “Só que não deu certo, né”, revelou o economista.

Ele falou também sobre suas conquistas acadêmicas e como precisou superar as pessoas que riam de seus sonhos e as que não acreditavam que ele poderia estudar fora do Brasil. Vale lembrar que Gil foi aprovado para cursar um PhD na Califórnia.

Durante o programa, Gil também explicou outro termo que ficou conhecido durante sua participação no BBB21: “fazer cachorrada”. Segundo o ex-BBB, é fazer o que tem vontade. E deu um exemplo: na segunda festa do reality, quando quis arrastar Arthur para a piscina, já era vontade de fazer cachorrada.

“Eu só queria ser feliz”, resumiu. “Quem não gosta de uma cachorrada?”, brincou Gil.

MAIS DE GIL DO VIGOR:

Ex-BBB Gil do Vigor exibe crachá da Rede Globo e comemora: “Eu tô muito feliz, Brasil!”

Gil do Vigor diz ‘sentir pena’ de dirigente do Sport que o ofendeu

Confira tudo que rolou no mundo dos famosos:


Inscreva-se no BOMBOU!