Twitter lança emoji em apoio a movimento pró-democracia na Ásia

Entenda o "Chá com Leite" que reúne protestos em Hong Kong, Tailândia, Taiwan e Mianmar

Por: Gabrielle Gonçalves | 08 abril - 23:48

O Twitter lançou um emoji de apoio à chamada “Aliança do Chá com Leite”, que reúne ativistas pró-democracia na Ásia. “Para comemorar o primeiro aniversário da Aliança #MilkTea, criamos um emoji com 3 cores diferentes de chá com leite das regiões onde a Aliança foi formada”, afirmou o Twitter ontem.

A imagem vai aparecer em qualquer tweet que tenha a hashtag “aliança do chá com leite” em inglês, tailandês, coreano e outros idiomas asiáticos.

Entenda o movimento

Manifestantes em Mianmar. Foto: YE AUNG THU/AFP

Em 2019, jovens de Hong Kong saíram às ruas para protestar contra o governo. Os protestos tiveram início em junho em repúdio a um projeto de lei que tinha sido apresentado em abril daquele ano. A legislação permitia a extração de cidadãos condenados para países com os quais Hong Kong não tinha acordo de extradição, como Macau, Taiwan e a China continental.

Os manifestantes acreditavam que isso poderia expor a população a tratamentos injustos e violentos e aumentaria a influência da China sobre Hong Kong. Depois de semanas, a líder Carrie Lam afirmou que havia suspendido a apresentação do projeto para o poder legislativo local. Mas isso não foi suficiente.

Milhares de pessoas continuavam indo às ruas temendo que o projeto de lei pudesse voltar. Os conflitos com a polícia foram ficando cada vez mais constantes e violentos. Foram vários protestos e algumas mortes até que, em setembro de 2019, ele finalmente foi derrubado. Também não foi suficiente, por ser “muito pouco e tarde demais”.

O passo seguinte foi pedir a renúncia da Chefe do Executivo, Carrie Lam, que tinha apoio de Pequim. A onda de protestos e as exigências iam cada vez mais aumentando. O descanso só veio depois que o movimento pró-democracia teve vitórias sem precedentes nas eleições do distrito em novembro de 2019 e com o início da pandemia de Covid-19.

Os protestos em Hong Kong inspiraram atividades de outros locais do sudeste asiático. As táticas adotadas nas manifestações de Hong Kong ajudaram o movimento anti-autoritarismo na Tailândia. O movimento “Chá com Leite” ganhou força no ano passado, quando tailandeses começaram a adotar as técnicas usadas por vários meses em Hong Kong para manifestar contra a reforma do governo e da monarquia.

Mas a Tailândia não foi a única. Em Taiwan, movimentos pró-democracia também estavam acontecendo. O país abriga diversos perseguidos políticos do continente. Além disso, a nação, apesar de independente, sofre com a grande pressão e influência da China.

O “Chá com Leite” se estendeu. O uso da hashtag aumentou e o burburinho nas redes sociais também quando Mianmar sofreu um golpe militar em fevereiro deste ano, que derrubou Aung San Suu Kyi do poder. Os militares também restringiram o acesso às redes sociais no país após o golpe.

O chá com leite é bebido de maneira diferente em cada um desses lugares. Os protestos em cada país também possui suas individualidades. A bebida é servida com bolhas de tapioca em Taiwan, quente e forte em Hong Kong, gelado e adoçado com leite condensado na Tailândia. No entanto, os ingredientes básicos são os mesmos – chá e leite, assim como o objetivo final dos manifestantes – a democracia.

Segundo o Twitter, desde abril de 2020, o termo já foi usado mais de 11 milhões de vezes na rede social.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

 

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você