Tinder vai permitir verificar antecedentes dos usuários

Ferramenta oferece um banco de dados sobre o match, que inclui históricos criminais

Por: Gabrielle Gonçalves | 15 março - 23:01

A empresa Match Group, dona do Tinder e de outros aplicativos de namoro, anunciou um novo recurso que promete maior segurança aos usuários. As plataformas devem permitir que as pessoas tenham acesso a um banco de dados dos seus matches, que inclui informações sobre prisões, condenações, ordens de restrição, casos de assédio e outros crimes violentos. A ação é uma parceria com a Garbo, organização sem fins lucrativos que permite a verificação dos antecedentes criminais apenas com o nome ou o número de telefone.

A ONG americana coleta as informações sobre os usuários a partir de relatórios policiais e outros documentos legais que denunciam abuso, assédio ou outros crimes. No entanto, não são considerados registros como crimes de trânsito ou porte de drogas, para evitar discriminações – são analisados apenas ocorrências de violência contra a mulher. A ideia é que esta tecnologia seja implantada nos aplicativos do Match Group, como é o caso do Tinder.

O novo recurso deve chegar aos Estados Unidos até o fim deste ano, e ainda não há previsão de quando a ferramenta deve ser implementada no aplicativo no Brasil. O sistema de checagem também não será gratuito, mas a empresa diz estar trabalhando para que o preço seja acessível para a maioria dos usuários.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você