Reino Unido vai investigar Facebook por compra de plataforma de GIFs

Autoridade de Concorrência e Mercado do país acredita que a aquisição pode prejudicar a livre concorrência

Por: Gabrielle Gonçalves | 03 abril - 11:29

O Facebook vai enfrentar uma investigação no Reino Unido. A Autoridade de Concorrência e Mercado (CMA, na sigla em inglês) vai investigar a rede social pela compra do Giphy, realizada em março do ano passado, com base em políticas antitruste, que visam promover a livre concorrência.

O Giphy é o maior repositório de imagens animadas da internet – os GIFs. Segundo a empresa, ela conta com 700 milhões de usuários e exibe 10 bilhões de GIFs diariamente. Mesmo antes da compra, o Giphy já era integrado ao Facebook, Instagram e WhatsApp, bem como ao Snapchat, TikTok e iMessage, da Apple.

Embora o Giphy e o Facebook sejam dos Estados Unidos, o CMA tem o poder de investigar fusões quando a empresa adquirida tem receitas anuais de pelo menos £ 70 milhões ou quando as empresas combinadas têm pelo menos 25% de participação em qualquer mercado “razoável”.

Um dos motivos que levou à investigação da rede social é o fato de que o Giphy tinha planos de expandir suas parcerias no mercado digital do Reino Unido. “Se o Giphy e o Facebook permanecerem unidos, o Giphy poderia ter menos incentivos para expandir sua publicidade digital, levando a uma perda de concorrência potencial neste mercado”, afirmou o CMA em um comunicado.

“Isso é particularmente preocupante, dado o poder de mercado existente do Facebook em publicidade gráfica – em julho do ano passado, o CMA descobriu que o Facebook tem uma participação de mais de 50% no mercado de publicidade gráfica de £ 5,5 bilhões “, completou o órgão.

Uma outra preocupação da Autoridade de Concorrência e Mercado do Reino Unido é que a plataforma pare de fornecer GIFs a outros aplicativos que não pertencem à empresa de Mark Zuckerberg. “Muitas pessoas usam GIFs quando se comunicam online; por isso, é importante que as plataformas não sejam restritas ao que podem oferecer e que as pessoas tenham uma variedade de opções para escolher”, disse a Diretora Executiva de Mercados e Fusões do CMA, Andrea Gomes.

Na ocasião da compra, em 2020, o Facebook havia garantido que outros desenvolvedores continuariam tendo acesso ao banco de imagens animadas do Giphy. Até agora, realmente, a empresa não bloqueou a busca de GIFs por nenhum outro aplicativo.

O CMA deu um prazo de 5 dias úteis para que o Facebook e o Giphy se pronunciem sobre as investigações levantadas.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você