Instagram pede desculpas após algoritmo recomendar conteúdo prejudicial para pessoas com transtornos alimentares

A barra de pesquisa da rede social acabou apresentando gatilhos para quem sofre com essas doenças

Por: Gabrielle Gonçalves | 16 abril - 23:51

Ativistas da Inglaterra prestaram queixas contra o Instagram após o algoritmo da rede promover conteúdos prejudiciais para pessoas com transtornos alimentares. A função de pesquisa no aplicativo recomendava automaticamente termos como “inibidores de apetite” e “jejum” para alguns usuários.

Foto: Desconhecido

Um porta-voz da empresa disse à BBC que a funcionalidade de pesquisa foi adicionada ao Instagram para que as pessoas pudessem descobrir e explorar com mais facilidade os conteúdos de seu interesse. Ao tocar na barra de pesquisa, a rede social sugere tópicos que a pessoa poderia pesquisar.

O conteúdo apresentado, no entanto, pode ser um gatilho às pessoas que lutam contra os transtornos alimentares. Para o médico britânico Joshua Wolrich, autor do livro Comida Não é Remédio, essa função pode ser maléfica aos pacientes. “Se as pessoas estão acompanhando relatos de transtornos alimentares que as estão ajudando em sua recuperação, é muito prejudicial ver de repente uma mensagem exatamente oposta a isso”, afirmou ele à BBC.

Os transtornos alimentares se caracterizam por doenças mentais que causam uma preocupação excessiva com a alimentação, o peso e a aparência do corpo. Entre eles estão, por exemplo, a anorexia, a bulimia, a compulsão alimentar, a vigorexia, a drunkorexia, a ortorexia e a síndrome alimentar noturna.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

 

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você