Facebook está com novo projeto de criação de banco de dados para tornar IA menos preconceituosa

Teve participação de diversos usuários, com informações de gêneros , cores e idades diferentes

Por: Aline Rocha Lemos | 10 abril - 11:41

Os sistemas de inteligência Artificial são criticados por seus preconceitos embutidos, o software de reconhecimento facial, por exemplo, pode falhar ao tentar classificar mulheres e pessoas de cor. Segundo pesquisas efetuada pela Queen Mary University, indica que Inteligência Artificial em Hollywood pode ser muito machista e etilista, afirma que o desemprego entre atores chega cerca de 90% e apenas 2% conseguem ganhar vida com a profissão, a pesquisa relata também que para mulheres é ainda pior, descobriu através dos dados da IMDB (Internet Movie Database) que um período sem trabalho na carreira de uma atriz tem muito mais chances de se tornar um desemprego permanente do que na do homem.

Por esse motivo, o Facebook está lançando um novo conjunto de dados para pesquisadores de IA, o projeto inclui um grupo de diversos atores pagos que foram explicitamente solicitado a a fornecer suas próprias idades e gêneros, afirma CNN.

Facebook cria banco de dados para IA para remover preconceito

O banco inclui 3.011 pessoas de todo os Estados Unidos e 45.186 vídeos denominado como “Casual Conversations” Imagem: Divulgação/Facebook

O Facebook tem como esperança, que os pesquisadores identifiquem o conjunto de dados para avaliar se os sistemas de IA funcionam bem para todas as pessoas, incluindo diferentes gêneros, idade, tons de pele e em diferentes tipos de iluminação.

O Facebook denomina o conjunto de dados como “conversas casuais”, inclui 3.011 pessoas de todo os Estados Unidos e 45.186 vídeos. Esse nome de “conjunto de dados” foi dado pelo Facebook porque os participantes foram gravados enquanto davam respostas improvisadas a uma variedade de perguntas pré-escolhidas.

O maior objetivo dessa criação de dados é a inclusão social nas plataformas digitais, já que os computadores normalmente têm a tarefa de ver o gênero de uma forma muito restrita, com o software de IA.

LEIA MAIS:

Assim como o Facebook, LinkedIn associa vazamento de dados à “raspagem”

Redes sociais como Twitter e Facebook estão trabalhando contra a venda de falsos cartões de vacinas em suas plataformas

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você