Fábricas entram em greve depois da decisão da LG de sair do mercado de smartphones

Trabalhadores exigem posicionamento da marca sobre manutenção dos postos de trabalho e direitos trabalhistas

Por: Gabrielle Gonçalves | 05 abril - 23:17

A partir de amanhã (6), trabalhadores de três fábricas fornecedoras da LG no Brasil entram em greve. A decisão acontece depois da marca ter anunciado que sairia do mercado de smartphones nesta segunda-feira (5). A fábrica da empresa em Taubaté, interior de São Paulo, já está paralisada desde o último dia 26, quando surgiram os boatos.

Fábrica da LG em Taubaté, interior de São Paulo. Foto: Reprodução/ TV Vanguarda

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, a decisão foi tomada como forma de preservar os 430 postos de trabalho que podem ser fechados com o encerramento das operações. Os funcionários que entrarão em greve são das fornecedoras terceirizadas Sun Tech, de São José dos Campos e Blue Tech e 3C, ambas de Caçapava.

O sindicato quer saber como fica o futuro das fábricas e exige que todos os direitos sejam pagos aos trabalhadores caso elas venham a fechar.

Já a fábrica da LG em Taubaté está em greve desde a última semana. A divisão possui mil funcionários que trabalham na fabricação de smartphones e monitores da marca. Com a LG saindo do mercado, 400 trabalhadores podem ser prejudicados.

A produção dos monitores continua. A fábrica da LG em Manaus também não deve ser afetada, uma vez que produz aparelhos de ar-condicionado, geladeiras e outros eletrodomésticos.

Desde o dia 26 de Março, o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté negociava informações com a empresa sobre as especulações do fim do serviço. Até o momento, a LG não se manifestou sobre o assunto.

LEIA MAIS:

LG é notificada pelo Procon-SP sobre o fim da fabricação de smartphones

Após muitos prejuízos e pouco sucesso, LG desiste do mercado de smartphones

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

 

 

 

 

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você