EUA retiram Xiaomi de lista de restrição de comércio

Inclusão da empresa chinesa na lista foi um dos últimos atos da gestão de Donald Trump

Por: Gabriel Figueiredo Monteiro. | 12 maio - 15:36

Depois de uma breve disputa judicial, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos concordou em retirar a empresa de tecnologia Xiaomi da lista negra de restrições comerciais.

A inclusão da empresa nesta lista foi um dos últimos atos da gestão de Donald Trump, que julgou a Xiomi e outas sete empresas como “companhias militares” e alegou mantinham ligações com o governo chinês. A restrição impede investimentos americanos nas empresas.

A inclusão da Xiaomi no grupo já havia sido bloqueada por um juiz federal em março deste ano, mas, agora, encontra a decisão final do país.

A empresa e o órgão de defesa ainda devem apresentar uma ordem conjunta com os novos termos de relacionamento para concluir a remoção da lista. Essa ordem deve ser apresentada até o dia 20 de maio.

Ainda não se sabe se a inclusão também será revertida para as outras sete empresas chinesas citadas.

A Xiaomi é uma das maiores empresas de fabricação de eletrônicos de todo o mundo e só está atrás de Samsung e Apple na participação de mercado de fabricação e venda de smartphones.

Veja também:

Samsung e Xiaomi devem lançar chipset em conjunto

Xiaomi Mi Smart Band 6 vende 1 milhão de unidades em menos de 1 mês

Xiaomi lança projetor Full HD de 120 polegadas

Xiaomi lançou os smartphones Mi 11X e Mi 11X Pro com processadores e câmeras poderosas

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: