Sistema de identidade nacional usará biometria registrada pelo TSE

A unificação de diversos documentos vai usufruir da tecnologia

Por: Adriane Garotti | 17 março - 17:11

Foi assinado, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o acordo que permitirá que os dados biométricos registrados no TSE sejam usados para o novo sistema de identidade digital.  Essa integração facilitará o início do programa que pretende deixar mais tecnológico os documentos dos brasileiros. 

 A Identificação Civil Nacional (ICN) vai servir como forma de unificar documentos dentro de aplicativos para celulares. Essa implementação da tecnologia vai facilitar o dia a dia do cidadão, que não terá mais a necessidade de carregar a documentação em papel.

Mulher fazendo a digital para documento

A tendência que é que a maioria dos documentos passem a ser digitalizados. (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Segundo TSE, 120 milhões de pessoas já possuem registro biométrico cadastrado, pois boa parte da população precisou realizar essa atualização de biometria junto ao tribunal para que pudessem votar nas eleições. 

Mais da metade dos serviços públicos disponibilizados pelo governo já são digitais, totalizando 67% das plataformas on-line. O intuito é que esse número cresça a partir do momento que for implementado o Documento Nacional de Identificação (DNI), que será a unificação de documentos como Título de Eleitor, CPF e Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Esse acordo para integração dos dados foi assinado pelo ministro Luís Roberto Barroso, presidente do tribunal, Onyx Lorenzoni, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, e Paulo Guedes, ministro da Economia.

Todo o compartilhamento de dados registrados pelo TSE foram realizados dentro da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e com consentimento dos cidadãos.

LEIA MAIS:

Elon Musk se declara “Rei da Tecnologia” da Tesla

Serviço de busca DuckDuckGo, acusa Google de usar o Chrome para espionar usuários

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: