Programa que rouba criptomoedas é distribuído pelo Telegram

HackBoss já conseguiu cerca de US$ 500 mil dólares e tem vítimas nos Estados Unidos, Nigéria, Rússia e Brasil

Por: Gabrielle Gonçalves | 18 abril - 13:53

Pesquisadores da empresa de softwares antivírus Avast descobriram que um novo programa que rouba criptomoedas vem sendo distribuído pelo Telegram. Em um canal do aplicativo, os autores publicam mensagens que promovem programas que ensinam como se tornar um hacker – mas que, na real, mascaram o HackBoss.

Até o momento, cerca de 2,5 mil pessoas já caíram na armadilha. Estima-se que o HackBoss já roubou mais de US$ 500 mil (cerca de R$ 2,8 milhões) em criptomoedas.

Canal do HackBoss no Telegram. Foto: Telemetr.io

Como isso acontece?

Depois de instalado, o HackBoss faz uma busca por endereços de carteiras digitais com criptomoedas. Ele monitora a área de transferência do sistema operacional e substitui qualquer endereço copiado pelo usuário. Dessa maneira, ao concluir uma transação, a vítima acaba mandando suas criptomoedas para os criadores do HackBoss sem saber.

Segundo o Avast, “a carga maliciosa continua sendo executada no computador da vítima, mesmo depois que a interface do usuário do aplicativo é fechada”.

O malware é distribuído em nove posts mensais, com pelo menos 1,3 mil visualizações cada. O canal chegou a ter 2,8 membros no Telegram. O HackBoss opera desde novembro de 2018 e já arrecadou milhões de reais em moedas digitais.

A maior parte foi em Bitcoin, com aproximadamente 8,43237903 BTC. Em seguida, vem a Ethereum (6,893571509  ETH), Litecoin (1,12499004 LTC) e Dogecoin (2299,38 DOGE).

A maior parte das vítimas do malware é dos Estados Unidos e da Nigéria. Ele também tem sido distribuído na Rússia. Na América Latina, o país mais afetado é o Brasil.

LEIA MAIS:

Preço do Dogecoin sobe mais de 400% nesta semana

Vira-lata caramelo é símbolo de criptomoeda brasileira

Bitcoin chega a US$ 63 mil e quebra novo recorde

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: