Nova política do iOS provoca tensões entre Apple e Facebook

Facebook não concorda com a atualização, que pode impactar seus lucros com anúncios publicitários

Por: Gabrielle Gonçalves | 29 abril - 00:22

A nova atualização do sistema operacional dos dispositivos da Apple, o iOS 14.5, não agradou em nada o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg. É que agora os usuários terão a opção de aceitar ou não que os aplicativos coletem e compartilhem seus dados. As novas regras foram anunciadas no ano passado e já vinham sendo motivo de disputa entre as empresas mesmo antes do seu lançamento no início desta semana.

Tim Cook, CEO da Apple, à esq. e Mark Zuckerberg, CEO do Facebook à dir. Foto: Getty Images7

Uma notificação aparece na tela do smartphone solicitando o consentimento em sites e apps que rastreiam informações e atividades. O App Tracking Transparency (ATT), da Apple, exige que esses programas disparem um aviso pop-up dizendo que o software “gostaria de permissão para rastreá-lo em aplicativos e sites de propriedade de outras empresas”.

A Apple afirma que a atualização visa dar mais privacidade e controle aos usuários sobre o uso de seus dados. No entanto, essa mudança pode afetar diretamente empresas que coletam as informações para anúncios publicitários personalizados – como é o caso do Facebook. Grande parte da receita da companhia é obtida por sua rede de anunciantes.

Segundo o último balanço anual da companhia, dos US$ 86 bilhões obtidos pela rede social em 2020, US$ 84,1 bilhões vieram das publicidades. Além de afetar suas receitas, a empresa de Zuckerberg alegou que a atualização podia prejudicar pequenos negócios que usam o Facebook e o Instagram para anunciar seus produtos e serviços.

O Facebook argumentou também que o compartilhamento de dados com anunciantes é algo essencial para dar aos consumidores “experiências melhores” de navegação. Ele ainda foi além, dizendo que a Apple está sendo hipócrita, porque forçará empresas de apps a procurar outras fontes de lucros, como assinaturas e pagamentos – dos quais ela terá uma quantia.

Em dezembro do ano passado, o CEO da Apple, Tim Cook, jogou mais lenha na fogueira em um post no Twitter. “O Facebook pode continuar a rastrear usuários em aplicativos e sites como antes. A Transparência de rastreamento de aplicativos no iOS 14 exigirá apenas que eles peçam sua permissão primeiro”, disse ele.

Já no início deste ano, no Dia da Privacidade de Dados, celebrado em 28 de janeiro, a Apple publicou um comunicado à imprensa falando sobre a importância de proteger os dados e informações das pessoas online e como ela vinha atuando nesse sentido.

No mesmo dia, o site The Information publicou uma matéria que dizia que o Facebook estaria planejando processar a Apple por “comportamentos anticompetitivos” com base em leis antitruste dos Estados Unidos.

Depois de muitas alfinetadas por parte das duas empresas, parece que a briga talvez tenha tomado um rumo em direção à paz durante esta semana. Em um post recente em seu blog, o Facebook pareceu aceitar as mudanças no novo iOS. A rede social prometeu “novas experiências aos anunciantes e novos protocolos de mensuração”. Ela também admitiu que a forma como os anunciantes coletam e usam informações precisa “evoluir” para depender de “menos dados”.

Fonte: Tilt e BBC

LEIA MAIS:

Saiba como alterar a voz da assistente Siri no IOS 14.5

Confira todas as novidades da versão 14.5 do IOS

Apple apresenta a primeira versão beta do iOS 14.6

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: