Ministério das Comunicações vai aceitar recursos de terceiros para financiar Programa Wi-Fi Brasil

Anúncio surge após o corte de R$ 38 milhões destinados à inclusão digital sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro

Por: Gabrielle Gonçalves | 27 abril - 21:42

Após o corte de R$ 38 milhões destinados à inclusão digital ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Ministério das Comunicações afirmou que vai aceitar investimentos de terceiros, inclusive de empresas privadas, para financiar o programa Wi-Fi Brasil.

Foto: Caminhos da Reportagem/TV Brasil

O Programa Wi-Fi Brasil (antigo Gesac) foi criado em março de 2002 e visa promover o acesso gratuito a serviços de internet em cidades com pouca ou nenhuma conexão. A iniciativa está presente em quase 3 mil municípios – a maioria nas regiões Norte e Nordeste.

De acordo com o Ministério, o Wi-Fi Brasil tinha instalado mais de 13 mil pontos de internet via satélite, banda larga, gratuita e de alta velocidade por todo o país até meados de março deste ano, beneficiando cerca de 8,5 milhões de habitantes. No entanto, o veto aprovado pelo presidente já está trazendo suas primeiras consequências.

As mudanças publicadas no Diário Oficial da União dizem que “caberá à Secretaria de Telecomunicações do Ministério das Comunicações firmar acordos com órgãos, entidades, instituições e empresas públicas ou privadas, interessadas em formar parcerias para apoiar a implementação do Programa Gesac”.

O Banco do Brasil, aparentemente, será um dos “padrinhos” do programa governamental. No início deste ano, a instituição e o Ministério das Comunicações já haviam firmado uma parceria para expandir o Wi-Fi Brasil. Três meses após o acordo e um dia antes do texto no Diário Oficial, a entidade anunciou que pretende levar pontos gratuitos de internet para até 500 municípios do interior. Para isso, o BB também vai contar com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

A rede Wi-Fi deverá ser usada para promover cursos voltados ao empreendedorismo promovidos pelo Sebrae, além de palestras sobre educação financeira. O projeto também prevê a disseminação do uso de serviços bancários pela internet por produtores rurais.

A lista de locais que serão atendidos não foram divulgados. O programa deverá levar a conexão à internet a escolas, postos de saúde, unidades de segurança pública, aldeias indígenas, quilombos, assentamentos rurais e outros equipamentos públicos.

Fonte: Agência Brasil e Ministério das Comunicações

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você