Apple demite engenheiro acusado de misoginia após petição de funcionários

Na carta, funcionários disseram que a contratação se opõe diretamente ao compromisso da empresa com a inclusão e diversidade

Por: Gabriel Figueiredo Monteiro. | 14 maio - 18:04

O engenheiro Antônio Garcia Martinez foi demitido da Apple, na última quinta-feira (13), após uma carta assinada por 2 mil funcionários da empresa.

O, agora, ex-funcionário é acusado de expor opiniões misóginas e racistas em suas redes sociais e em seu livro “Chaos Mokeys”.

No livro sobre o Vale do Silício, Martínez se refere às mulheres da área da Baia de São Francisco como “fracas, mimadas e ingênuas”. Os funcionários ainda anexaram à petição uma série de trechos do livro e posts nas redes sociais do engenheiro considerados ofensivos.

A Carta, obtida pelo portal The Verge, diz que os funcionários estão extremamente preocupados com a recente contratação de Antônio Garcia Martinez, que se opõe diretamente ao compromisso da empresa com a inclusão e diversidade.

O documento ainda exige uma investigação sobre como essas opiniões sobre mulheres e negros foram ignorados no processo de contratação e levantamento de antecedentes e pede que medidas sejam tomadas para que isso não volte a acontecer.

Pouco tempo após a petição começar a circular pela empresa, a conta do funcionário no Slack foi desativada e uma reunião de emergência do setor de anúncios (área para qual Martínez foi contratado) foi convocada para avisar que o funcionário não compunha mais a equipe da Apple.

Veja também:

UE acusa Apple de práticas anticompetitivas em serviços de streaming de música

Instagram permitirá que usuários insiram pronomes em seus perfis

Xbox Series X/S receberão suporte para Dolby Vision

Ambev abre mais de 300 vagas para profissionais de tecnologia

SpaceX e Google fecham acordo para uso de satélites Starlink

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: