Pandemia x Eletrônicos: 65% das crianças são viciadas em eletrônicos, afirma pesquisas

A pandemia teve um impacto negativo referente a saúde mental, física e emocional das crianças

Por: Aline Rocha Lemos | 29 março - 11:05

Nesse momento de pandemia que está sendo vivido, o índice de crianças viciadas em celulares, computadores, tablets, videogame, aumentou muito, e pelo fato, de ficar em casa, não é novidade que esse índice aumente cada vez mais. É um problema muito grave, e preocupam muito os pais.

Crianças viciadas em eletrônicos aumenta na pandemia

Imagem: Divulgação

Estudos indianos relatam que crianças não conseguem ficar longe de seus dispositivos por 30 minutos. Essa dependência causa muitos problemas de saúde, e está sendo diagnosticado por médicos como distúrbios psiquiátricos. Uma média de 23% de crianças e jovens que sofrem com isso.

O uso problemático de eletrônicos, foi definido como qualquer comportamento vinculado a celulares que possui características de um vício, que cause pânico ou transtorno quando o telefone não está disponível para ser usado, as pesquisas envolveu 41.871 crianças e jovens, afirma pesquisa do King’s College London.

Com esse novo período foi relatado que 65,2% dos estudantes tiveram problemas físicos, 23,40% ganharam peso, 26,90% sofreram dor de cabeça e irritabilidade. Mas de fato 70,70% dos estudantes com vício das telas, estão sofrendo problemas comportamentais, e com esse problemas surgem as dificuldades de dormir, e caso durmam e acordem no meio da noite levam de 20 a 30 minutos para voltar a dormir.

Portanto estudos afirmam que a pandemia teve um impacto muito negativo referente a saúde mental, física e emocional das crianças, referente ao vicio em celulares.

LEIA MAIS:

Facebook está trabalhando em um Instagram para crianças menores de 13 anos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: