Uber indica que pode oferecer delivery de maconha nos EUA no futuro

Atualmente, a erva é legalizada em cerca de 15 dos 50 estados. Alguns lugares já possuem serviços de entregas por outras empresas

Por: Gabrielle Gonçalves | 13 abril - 21:57

Na última segunda-feira (12), o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, disse em entrevista à CNBC, que pode considerar a entrega de maconha nos Estados Unidos se a droga for legalizada em nível nacional. “Quando o caminho estiver livre para a cannabis, quando as leis federais entrarem em ação, vamos absolutamente dar uma olhada nisso”, afirmou o executivo.

Foto: Uber

A declaração aconteceu durante uma conversa sobre a compra pela Uber do serviço de delivery de bebidas alcoólicas Drizly. A aquisição teve um custo de US$ 1,1 bilhão e não incluiu o Lantern, que faz entregas da erva e foi lançado pela Drizly em maio de 2020. O Lantern continua operando de forma independente.

Atualmente, a maconha é ilegal segundo a lei federal dos EUA, mas cerca de 15 estados legalizaram a droga para adultos com mais de 21 anos. Já o uso medicinal é liberado em 36 dos 50 estados. Os serviços de delivery de cannabis estão disponíveis para pessoas com 21 anos ou mais na Califórnia, Nevada, Oregon e, mais recentemente, em Nova York, o último estado a legalizar a cannabis recreativa, em 31 de março.

Enquanto a droga não é legalizada em todo o país, a Uber vai continuar focando em seus serviços de entregas atuais. “Por enquanto, com mercearia, com comida, com álcool, etc., vemos muitas oportunidades lá fora e vamos nos concentrar na oportunidade que temos à mão”, completou Khosrowshahi.

A Uber não fez comentários adicionais sobre as declarações de Dara Khosrowshahi.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você