Uber Eats segue iFood e Rappi e também reduz taxas para restaurantes

Medidas foram adotadas devido à crise causada pelo agravamento da pandemia

Por: Gabrielle Gonçalves | 01 abril - 22:19

Na última quarta-feira (31), o Uber Eats anunciou uma redução nas taxas cobradas para os restaurantes que usam o aplicativo. A medida visa ajudar os estabelecimentos diante da crise provocada pelo agravamento da pandemia.

Foto: REUTERS/Valentyn Ogirenko

A partir do dia 8 de Abril, os restaurantes que têm seus próprios entregadores podem pagar apenas 5% da taxa por cada pedido – uma redução de 70%. Já os locais que utilizam as entregas da plataforma pagam uma taxa de 18% – um valor 40% menor do que era cobrado antes. A medida vale por 1 mês. Os empreendedores têm até o dia 7 de Abril para demonstrar interesse nos descontos pela plataforma.

A empresa também afirmou que os novos restaurantes que se cadastrarem no aplicativo em Abril e tiverem sua própria frota de entregadores ficarão isentos de taxas durante 30 dias. Já os parceiros que optarem por usar motoboys do Uber Eats irão encontrar a taxa por pedido fixada em 18% pelo mesmo período.

O aplicativo anunciou ainda que vai investir R$ 70 milhões de reais em ações de marketing e promoções para atrair mais clientes. Uma dessas ações será a antecipação diária e gratuita dos pagamentos para os restaurantes.

O Uber Eats não foi o único

(Foto: Divulgação/iFood)

Em Março, o iFood também havia anunciado redução nas taxas para os restaurantes cadastrados. A cobrança diminuiu de 12% para 11% para restaurantes que têm entrega própria. Já para quem usa o delivery do iFood, as tarifas foram de 23% para 18%.

As medidas tinham sido adotadas pelo iFood no início do mês passado e teriam validade de 1 mês. Na última quarta-feira (31), a companhia prorrogou as ações por mais 15 dias.

O aplicativo também afirmou que o “repasse dos recebíveis vai continuar em até 7 dias após a venda, sem taxa adicional, até 30 de junho, para todos os restaurantes ativos há mais de 30 dias na plataforma”. A empresa quer ainda disponibilizar mais R$ 500 milhões em linhas de crédito aos restaurantes, com taxas e condições especiais, durante este ano.

E o Rappi?

Desde Março, o Rappi ofereceu isenção na taxa para novos parceiros por 90 dias. A iniciativa será oferecida aos restaurantes que se cadastrarem e assinarem contrato com a empresa até o fim de Abril. Depois de três meses, os estabelecimentos ficam sujeitos à taxa de R$ 40 pelo primeiro repasse e à Taxa de Pagamento a Crédito de 3,5% sobre o valor de cada pedido.

Foto: Divulgação/Rappi

O Rappi também vai antecipar os repasses aos parceiros. Normalmente, os valores dos pedidos levam 30 dias para serem liberados. Com a pandemia, o prazo havia sido reduzido para 14 dias. E, agora, até o mês de Junho, o repasse deve ser feito em até 1 semana.

O aplicativo pretende disponibilizar ainda um fundo de R$ 100 milhões para crédito aos restaurantes. Para os clientes, o Rappi vai oferecer gratuitamente, por 30 dias, o Rappi Prime, serviço por assinatura, com frete grátis e descontos.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: