Tecnologia pode dobrar a vida útil de baterias

Componentes à base de Manganês são mais ecologicamente corretos e possuem maior capacidade teórica

Por: Gabrielle Gonçalves | 04 abril - 15:57

Os carros elétricos aumentaram bastante a demanda por baterias de íon-lítio. Pensando nisso, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Hong Kong desenvolveu um novo material alternativo que pode ser usado para alimentar as cargas.

Foto: Freepik

Os pesquisadores criaram um material catódico à base de manganês muito mais estável. A tecnologia é mais durável do que os materiais de cátodo de cobalto e níquel existentes. Nela, 90% da capacidade é retida mesmo quando o número de ciclos de carga e recarga dobrou.

As baterias de íon-lítio são utilizadas na fabricação de telefones celulares e carros elétricos. A maioria dos materiais catódicos contém cobalto e níquel, que não são abundantes e poluem o meio ambiente. Portanto, os cientistas estão procurando por materiais catódicos alternativos, por exemplo, manganês.

Apesar de ser mais ecologicamente correta e possuir maior capacidade teórica, o novo material, no entanto, possui instabilidade estrutural, gerado por uma distorção Jahn-Teller – alongamento da ligação entre os componentes. Para solucionar o problema, a equipe aplicou uma engenharia interfacial na estrutura atômica do material.

Em entrevista ao portal TechXplore, o coordenador da pesquisa, Dr. Liu Qi, disse que a capacidade da bateria com o componente e a tecnologia desenvolvidos pela equipe é maior se comparada às baterias utilizadas atualmente. Ele acredita que a nova fórmula pode substituir os materiais de cobalto comercial na aplicação em eletrônicos, baterias e carros elétricos.

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: