Robôs nadadores dos EUA conseguem se regenerar sozinhos

Em formato de peixinhos, essa tecnologia pode ser útil para ciência

Por: Adriane Garotti | 27 março - 20:57

A universidade da Califórnia, com seus pesquisadores que atuam no departamento de nanoengenharia, conseguiram desenvolver robôs nadadores, de aproximadamente 2 cm, que têm a capacidade de se regenerarem sozinhos, ou seja, conseguem se “curar” sem auxílio externo. 

O entusiasmo em torno dessa nova descoberta tem o intuito de incluir uma tecnologia semelhante a essa em processos onde os objetos não podem sofrer reparos. Um bom exemplo são as microcirurgias, que poderiam usar esses mini robôs como forma de garantia de um processo sem alterações por danos físicos no aparelho. 

Ilustração do robô nadador

(Foto: Reprodução/American Chemical Society)

Segundo os pesquisadores, tudo isso só é possível devido ao fato deles nadarem em uma solução de peróxido de hidrogênio. Com isso, eles podem ser partidos em até três pedaços e, mesmo assim, conseguem se regenerar. 

Os peixinhos robôs nadadores são feitos com micropartículas que são alinhadas magneticamente. Além disso, eles possuem um forma condutora intermediária, que é mais rígida e hidrofóbica – que são insolúveis na água.

Joseph Wang, um dos pesquisadores responsáveis que participa do projeto, afirmou que “a capacidade de autocura versátil e rápida é um passo importante para o desenvolvimento de robôs nadadores que poderiam ser enviados a ambientes hostis, onde o risco de danos é muito grande”, disse Wang segundo informações do site Canaltech.

Assista o vídeo que ilustra essa nova tecnologia:

LEIA MAIS:

Razer decide fabricar máscara reutilizável com amplificador de voz 

Bairro feito com impressora 3D já é realidade nos Estados Unidos

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: