Piloto automático da Tesla pode ser “enganado” para funcionar sem motorista

Acidente envolvendo um Tesla Model S supostamente sem condutor deixou duas pessoas mortas na noite do dia 17 de abril

Por: Gabrielle Gonçalves | 23 abril - 22:40

A Tesla está sendo investigada nos Estados Unidos por um acidente fatal que envolveu um Tesla Model S supostamente em piloto automático. Agora, engenheiros da Consumer Reports fizeram um teste que demonstrou que o sistema pode ser enganado para funcionar sem ninguém ao volante.

Foto: Reprodução/CR

Na noite do dia 17 de abril, um carro da Tesla se envolveu em um acidente e deixou duas pessoas mortas em Springs, no Texas. Rumores apontavam que o veículo estava em piloto automático. O proprietário da fabricante, Elon Musk, usou o Twitter para negar essa informação.

De acordo com Musk, os registros de dados recuperados até então mostravam que o piloto automático não havia sido habilitado, e o dono do carro não havia comprado FSD (Full Self-Driving). Além disso, ele afirmou que o sistema padrão exigiria linhas de faixa para ligar, e o local do acidente não as tinha.

A demonstração feita pela Consumer Reports, usou um modelo Tesla Model Y para tentar comprovar que a tecnologia poderia, sim, ser facilmente burlada. Na demonstração, o diretor sênior de testes de automóveis, Jake Fisher, sentou-se no banco do motorista e afivelou o cinto de segurança para que o piloto automático pudesse ser habilitado.

Em seguida, Fisher usou a discagem rápida para parar o veículo e prendeu uma corrente pesada no volante para simular a pressão das mãos. Depois, o diretor da Consumer Reports pulou para o banco de trás do carro e conseguiu controlar a velocidade a partir da discagem rápida.

Segundo os engenheiros, o Tesla Model Y subiu e desceu uma pista de oitocentos metros repetidamente e não notou que não havia ninguém no assento do motorista. “Foi um pouco assustador quando percebemos como era fácil derrotar as salvaguardas, que provamos serem claramente insuficientes”, afirmou Fisher, em um comunicado.

“Em nossa avaliação, o sistema não só falhou em garantir que o motorista estava prestando atenção, mas também não conseguiu dizer se havia um motorista ali”, continuou ele. O responsável pelo teste também afirmou que a Tesla estava “ficando para trás” em relação a montadoras como a GM e a Ford, que possuem sistemas avançados para garantir que o condutor esteja olhando para a estrada.

Vale lembrar que o grupo conduziu o teste em um circuito fechado, com velocidades relativamente baixas e equipes de segurança em prontidão. Então, se, por um acaso, você tiver um Tesla por aí, não tente fazer isso em casa.

Fonte: GizModo

LEIA MAIS:

Tesla torna público dados do carro elétrico envolvido em acidente

A partir da próxima semana Tesla venderá painéis solares apenas com bateria Powerwall

Elon Musk é flagrado por multidão enquanto dirige o Tesla Cybertruck

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: