Rafael Miguel, ator de “Chiquititas”, e seus pais são mortos em SP

O jovem e a família teriam ido falar com os pais da namorada sobre o relacionamento; pai da menina é suspeito

Por: João Paulo Soares | 10 junho - 08:12

Rafael Henrique Miguel, de 22 anos, e seus pais morreram na tarde de domingo (9) após serem baleados pelo pai da namorada do ator.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, divulgadas pelo G1, o jovem teria ido junto com os pais João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, conversar com a família da namorada dele sobre o relacionamento.

Na casa de Isabela Tibcherani, de 18 anos, a família foi recebida pela jovem e pela mãe dela. Enquanto eles conversavam, o pai da menina, Paulo Curpertino Matias, de 48 anos, chegou armado e atirou nas três vítimas.

Foto: Reprodução/Instagram

Ator de “Chiquititas” emagrece mais de 34kg: “É um choque”

Rafael Miguel ficou conhecido por gravar um famoso comercial de TV em que pedia para a mãe comprar brócolis no supermercado. Anos depois, ele interpretou o personagem Paçoca no remake da novela “Chiquititas”, do SBT.

No Twitter, a atriz e apresentadora Maisa Silva lamentou o caso: “Bizarro saber que uma crueldade dessas aconteceu, ainda mais com uma pessoa que eu conhecia. Mais vidas foram interrompidas pelas mãos de um homem. Rafael & família, descansem em paz. Que Deus conforte todos os corações. Que a justiça seja feita. Chega de assassinato”, disse.

“O SBT lamenta profundamente a morte do ator Rafael Henrique Miguel e seus pais. A família SBT está muito triste com o ocorrido. E deseja que Deus conforte os seus familiares”, disse a emissora em nota.

Confira a nota divulgada:

“João Alcisio Miguel, de 52 anos, Miriam Selma Miguel, de 50, e Rafael Henrique Miguel, de 22, morreram após serem baleados, por volta das 13h55 de domingo (9), na Estrada do Alvarenga, no bairro Pedreira, na zona sul da Capital. O caso é investigado pelo 98º Distrito Policial (Jardim Miriam) e as equipes estão em diligência para localizar e prender o autor do crime”.

Deixe seu comentário