“Morreram tarde demais”, diz tio de Isabela sobre assassinato de Rafael Miguel e família

Joel ainda acusou que a família de Rafa era envolvida com uma rede de pedofilia

Por: Alefy Soares | 13 junho - 15:18

O assassinato do ator Rafael Miguel e sua família chocou o Brasil na última semana, mas parece que o irmão do assassino, Joel, não pensou assim e gerou ódio nas redes sociais.

Durante uma entrevista cedida ao Cidade Alerta, da Record, Joel aparece tentando culpar as vítimas pelo assassinato.

Irmã se pronuncia após assassinato de ator Rafael Miguel e dos pais: “Trauma gigantesco”

Foto: Reprodução/Instagram

O tio de Isabela disse que a família de Rafael “estava envolvida com uma rede de pedofilia” e que queria “corromper a menina, prometendo que ela ia ser artista de televisão”. As acusações ainda não foram comprovadas pela polícia.

“[Rafael, Miriam e João] estavam usando o amor como desculpa. Morreram tarde demais esses daí”, escreveu.

Isabela Tibcherani, que namorava Rafael, se pronunciou sobre as acusações de seu tio: “Eu nunca fiquei acho que a cinco metros desse homem na minha vida(…) sei que ele existe, mas nunca nem troquei palavras(…) nem que tivesse chance gostaria.”

Namorada de Rafael Miguel diz que mãe não vai ajudar nas investigações: “Não está do meu lado”

Isabela Tibcherani, de 18 anos, disse em entrevista ao programa “Balanço Geral”, da RecordTV, que sua mãe não vai ajudar nas investigações do assassinato que provocou a morte do ator Rafael Miguel, de 22 anos, e dos pais dele.

O pai de Isabela, Paulo Cupertino Matias, 48 anos, é o principal suspeito dos crimes. “Minha mãe não está do meu lado, por incrível que pareça. Ela não vai ajudar as investigações, mas nem vai precisar disso porque já conseguiram imagens dele. Se fosse pra contar com ela, eu estaria sozinha. Não quero nem vê-la”, disse.

Foto: Reprodução/Instagram

A jovem também revelou que jamais pensou que o seu pai fosse reagir dessa forma. “Ainda não consigo acreditar, mas estou me esforçando. Juro que o máximo que pensei que fosse possível era meu pai sair na mão. Mas quando eles [Rafael e os pais] chegaram, ele me mandou entrar e começou a atirar (…) Eu não estou com medo porque não tenho nada a perder, temo pelas pessoas que estão comigo, que estão me protegendo. Ele não atirou em mim porque não queria”, contou. Leia mais.