Luisa Mell faz denúncia sobre execuções de animais em Brumadinho: ”Que barbaridade”

A ativista está na cidade mineira para resgatar animais que ficaram ilhados e presos na lama

Por: Marielle Rojas | 29 janeiro - 11:40 AM | comentários

Enquanto as equipes continuam as buscas após a tragédia em Brumadinho, Minas Gerais, em que três barragens da Vale se romperam, Luisa Mell foi para a cidade resgatar os animais que ficaram presos na lama, que devastou o centro administrativo da empresa e a comunidade local.

Ao lado de sua equipe, a defensora chegou ao local nesta segunda-feira (28) e está mostrando em seu Instagram Stories tudo que está encontrando por lá.

“Oi, gente, estou aqui em Brumadinho, local da tragédia. Muita destruição, muita tristeza. Onde eu tô é bem onde acharam o ônibus, ainda tem os bombeiros ali tentando achar os corpos e tem um animal ali no meio, bem ali no meio! A gente não consegue retirá-lo, estamos vendo como vamos conseguir tirá-lo de lá. Muita aflição, muito desespero, muitos animais nessa situação, uma barbaridade mesmo”, disse ela.

Foto: Reprodução/ Instagram

Nesta terça-feira (29), Luísa fez uma denúncia e afirmou que agentes estão atirando nos animais. “Eu não falei que estavam sabotando? Porque não queriam salvar os animais coisa nenhuma! Querem matar! Ontem quando me falaram que o helicóptero estava atirando nos animais eu não conseguia acreditar! Mas era verdade! Os animais estão pagando pelo crime da Vale!!!!”, começou ela

“Eram 14h37. Um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) fazia voos rasantes em uma área devastada do Córrego do Feijão, numa região isolada e mais próxima da barragem de rejeitos. Um agente armado com fuzil mirava, de dentro do helicóptero, locais onde enxergava animais na lama. E disparava.”

“Olha que lixo, que barbaridade, que atrocidade. E o pior de tudo eu quero saber se o CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) autorizou essa palhaçada, porque a gente está cheio de veterinários aqui e tem outras maneiras dignas de sacrificar os animais e esta não é uma delas”, completou Luísa em vídeo.

Deixe seu comentário