Ex-BBB Mayara Medeiros vence o ‘Oscar’ do pornô

Atualmente, Mayara trabalha como diretora de filmes pornográficos

Por: Alefy Soares | 10 outubro - 3:45 PM | comentários

Após comemorar a indicação de  ‘Melhor Direção Prêmio Sexy Hot’, na premiação conhecida como o “Oscar do Pornô, a ex-BBB Mayara Medeiros venceu na noite da última terça-feira (09) e se emocionou.

A celebridade levou a estatueta após dirigir uma cena homo com Emme White, uma das atrizes pornôs brasileiras mais conhecidas na atualidade, no filme “Serviço Completo”.

Mayara Medeiros (à direita) é premiada (Foto: AG. News)

Veja os ganhadores: 

Melhor Cena de Fetiche: Mia Linz e Ricardo, de “Cabine Erótica”
Melhor Cena de Ménage: Patrícia Kimberly, Marcos Sampaio e Rob, de “Encontro com os Fãs 2”  Melhor Cena de Sexo Anal: Emme White e Yuri, de “Bruxas”
Melhor Cena de Sexo Oral: Emme White e Yuri, de “Bruxas”
Melhor Cena Homo Feminina: Fernandinha Fernandez, Fabiane Thompson e Emme White, de “Serviço completo”
Melhor Diretor: Mila Spook, de “[Des] Conectados”
Melhor Filme Hétero Revelação do Ano – Hétero: Danny Mancini, de “Serviço completo”
Revelação do Ano – LGBT: Dread Hot, de “5 para 1”
Melhor Ator Hétero: Nego Catra, de “No íntimo do perverso”
Melhor Atriz Hétero: Elisa Sanches, de “Negão do Zap”
Melhor Atriz Homo Feminina: Patricia Kimberly, de “Garotas da van em Reunião da Diretoria”

Recentemente, durante entrevista cedida ao GShow, Mayara comentou mais sobre o seu trabalho na indústria do pornô e sobre o prazer feminino nos filmes: “Apesar de ser um trabalho contínuo – e era uma meta falar mais sobre o prazer feminino, sim –, a gente não esperava que fosse acontecer de fato”.

Brasileiro faz tatuagem bizarra de ex-atriz pornô e é detonado pela moça

A celebridade disse que a experiência vivida no BBB ajudou em sua atual profissão como diretora de filmes pornográficos: “Deu experiência de lidar com as pessoas que super se expõem. Lidar com toda essa questão de ego. É uma coisa que aprendi vivendo isso na pele”.

Mayara também comentou sobre o seu filme pornô ser considera um “filme pornô feminista”: “Sobre ser ‘pornô feminista’… Eu não acho que um produto possa ser chamado de feminista – não existe molho de tomate feminista, filme feminista… Prefiro colocar sempre ‘pornô feito por mulheres’”.

Foto: Reprodução/Instagram

Ela também foi questionada se existe algum preconceito com as mulheres da área: “O universo pornô é mais tolerante. No começo, passei por certas situações que toda mulher passa em qualquer trabalho – não foi um privilégio meu. Você já ouviu mulheres falando que foram testadas sem necessidade”, disse.

“A partir do momento em que você é mulher, tem que provar duas vezes que é capaz de fazer as coisas. No começo passei mais, agora acho que as pessoas já me conhecem e a coisa está mais tranquila.”, finalizou.

A diretora revelou se acaba se incomodando por ser chamada de “ex-BBB”: “Ah já, porque foi em 2012. Faz tempo. Mas não tenho nenhum problema, foi uma experiência importante para mim. Eu não assistia a TV, não era uma pessoa da TV, era uma pessoa da arte contemporânea. Nada a ver. Mas era uma menina achando que ia ajudar a família querendo ganhar dinheiro. Eu era muito novinha”.

“Com o “BBB”, eu tinha ilusão que iria ganhar dinheiro – não era fama. Eu, de fato, não assistia a TV, não tinha noção da proporção daquilo. Quando saí, fiquei muito assustada. O programa não correspondeu às minhas expecativas, porque minhas expectiva não era ficar famosa, era ganhar dinheiro para a minha mãe”, finalizou.

Deixe seu comentário