Bolívia e Chile fecham fronteiras com o Brasil para conter avanço da Covid-19

Região isola o Brasil para evitar que o surto de Covid-19 piore o quadro pandêmico na vizinhança

Por: Sophia Bernardes | 01 abril - 14:00

Nessa quinta-feira (1), a Bolívia e o Chile foram os últimos países a aderir o fechamento de suas fronteiras com o Brasil para conter a disseminação da Covid-19.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

O Chile nos últimos dias registrou um avanço acelerado do vírus, logo as restrições valerão para todas as suas fronteiras terrestres e aéreas durante o mês de abril, enquanto na Bolívia é exclusivo para o Brasil e durará 7 dias.

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) alertou sobre os riscos da crise sanitária em território nacional agravarem a situação em todo o continente, em vista disso, as medidas foram tomadas.

Março foi o pior mês da pandemia no Brasil, registrou mais de 66 mil mortes, mais que o dobro de julho de 2020, o mês mais letal até então.

Chile, Paraguai e Bolívia eram as únicas nações da região que ainda permitiam as idas e vindas dos brasileiros, mesmo com restrições.

O Presidente boliviano, Luis Arce, anunciou através do Twitter o fechamento por 7 dias da fronteira de 3,4 km, a medida se faz necessária para proteger a população.

De acordo com o Presidente, comunidades que fazem fronteira com o país e que foi detectada a circulação de variantes do vírus serão postas em quarentena.

Há uma preocupação voltada para a nova variante, a P1, detectada no Amazonas. Até o momento, ela foi identificada em pelo menos 15 países e territórios das Américas, incluindo Bolívia, Venezuela, Chile, Uruguai, Colômbia e Paraguai.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Anvisa diz que Janssen precisará apresentar eficácia contra cepa brasileira

OMS considera ‘inaceitável’ a lentidão na vacinação contra Covid-19 na Europa

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você