BBB20: Felipe Prior tem duas acusações de estupro e uma denúncia de tentativa

Revista "Marie Claire" apurou os fatos com as vítimas; relatos são fortes!

Por: Amanda Oliveira | 03 abril - 13:19

Durante sua participação no Big Brother Brasil 2020, Felipe Prior se envolveu em algumas polêmicas de machismo e atitudes agressivas. Nas redes sociais, inclusive, começou a surgir um boato de que o brother havia sido expulso dos jogos universitários das faculdades de arquitetura e urbanismo de São Paulo, intitulados “InterFAU”, por acusações de assédio e violência.

Nesta sexta-feira (3), a revista “Marie Claire” publicou uma reportagem em que apurou as denúncias contra o ex-BBB e trouxe relatos de três vítimas. De acordo com as informações exclusivas do veículo, Felipe Prior teria cometido dois estupros e praticado uma tentativa de estupro. Aviso: os depoimentos são fortes.

Foto: Reprodução/Instagram

Uma das vítimas, Themis (nome fictício), disse ao veículo que estava muito alcoolizada e, junto com uma amiga, aceitou uma carona de Prior. Ele teria deixado a amiga e, depois, parado o carro e se lançado sobre Themis para beijá-la. Em seguida, teria a arrastado para o banco de trás do carro.

Em depoimento concedido às advogadas Maira Pinheiro e Juliana de Almeida Valente, ao qual a Marie Claire teve acesso exclusivo, Themis relatou que Prior tirou a roupa dela e abriu a própria calça para ter relações sexuais com ela. Ela recusou muitas vezes, deixando claro que não queria e ele teria dito “Para de ser fresca, no fundo você quer, não é hora de se fazer de difícil”. Em seguida, Prior teria estuprado Themis.

Segundo Themis, a violência foi tão forte que ela teve uma laceração no lábio vaginal esquerdo, causando sangramento que sujou sua roupa, o banco do carro e as roupas de Prior. Só assim, ele teria perguntado se ela queria ser levada ao hospital, mas Themis recusou dizendo que só queria ir para casa – então, ele seguiu viagem e a deixou.

“Simplesmente coloquei a violência que sofri debaixo do tapete por seis anos. Achei que não lidando com ela, sumiria em mim. Atrasei dois anos da minha faculdade por causa do estupro. Tranquei todas as matérias do curso porque vê-lo todos dias era torturante. Ele é um cara impulsivo, agressivo. O que mostrou no BBB não chega perto do que é na vida real. Tenho medo do que pode fazer, mesmo diante de uma acusação formal, com advogada e tudo. Mas não posso mais guardar esse mal para mim”, contou à Marie Claire.

A segunda vítima entrevistada pela revista é a estudante Freya (nome fictício), de 24 anos. Ela contou que Prior se aproveitou do estado de embriaguez dela para fazê-la entrar em sua barraca em um acampamento dos jogos universitários, onde ele teria tentado estuprá-la duas vezes. Freya disse que só conseguiu fugir porque o empurrou usando os braços e as pernas e reforçou que desistiu de ter relações sexuais quando percebeu que Prior não tinha preservativo.

“Quando começou o BBB, vi um tuíte de uma garota que dizia que o Felipe tinha fama de assediador no Mackenzie. Foi quando entendi que a violência que sofri não era única. Mandei uma mensagem para garota e disse a ela que se aparecessem mais vítimas, me manifestaria. Dessa forma encontrei Themis, que me contou que além do estupro, tinha um boletim médico comprovando a laceração em seu genital”, Freya relatou ao veículo.

A terceira jovem recebeu o nome fictício de Ísis e tem 23 anos. Segundo ela, Prior a convidou para entrar em sua barraca no acampamento dos jogos e os dois iniciaram relações sexuais de forma consentida. Contudo, quando ele começou a demonstrar uma atitude agressiva, a garota pediu que eles parassem, mas o arquiteto não atendeu ao pedido.

Um documento obtido com exclusividade pela Marie Claire informa que “o acusado desferiu tapas no rosto e por todo o corpo de Ísis” mesmo depois de ela dizer que estava com dor e queria parar. Prior também teria dito que não a deixaria sair da barraca – e ela só conseguiu quando ele adormeceu.

“As meninas que moram comigo gostam de assistir BBB. Imagina ter que ver a cara dele todo dia? Mas ao mesmo tempo foi importante para que eu pensasse no passado. Eu achava que ia superar através do esquecimento. E vê-lo na TV me despertou muitos gatilhos e medo de me relacionar com homens”, ela desabafou. Testemunhas que estavam na barraca ao lado disseram que escutaram o ocorrido: “Uma voz feminina chorando. A voz dizia ‘Para, tá me machucando’ e continuava chorando”.

Procurada pela reportagem de Marie Claire para responder às acusações, a assessoria respondeu “Isso aí é mentira” e depois disse “Assim que eu entrar em contato com a família eu te aviso”.

Até o fechamento desta matéria, Felipe Prior não se manifestou sobre o caso.

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você