Anitta desabafa sobre preconceitos e rótulos: “Uma funkeira com plástica e que rebola a bunda”

A cantora falou sobre negócios e os preconceitos no Brasil

Por: Alefy Soares | 17 janeiro - 7:02 PM | comentários

Em um crescente sucesso, Anitta cedeu entrevista à revista Exame e comentou sobre as suas estratégias usadas para crescer na vida e empreender. A cantora resolveu usar a capa para realizar um longo desabafo sobre preconceitos.

“Celebro com esta capa a minha alegria de ter alcançado todos os meus sonhos ao final dos meus 25 anos de idade. Para todos que acompanham meu trabalho gostaria de dizer que não há limites para nossos sonhos desde que haja dedicação e sabedoria em você”, começou Anitta.

Após vazar foto com novo affair, Anitta manda indireta nas redes sociais

Foto: Reprodução/Instagram

“A partir de 2019 início uma nova fase na minha vida. Uma fase de testar coisas novas, de me jogar, de me arriscar em novos desafios e literalmente “ver no que dá”, sem a pressão que um dia existiu de “provar que sou capaz”. Em 2018 aprendi que reconhecer seus próprios méritos não significa “ser cheio de si”, desde que você não se coloque acima de ninguém”, continuou.

Em seguida, a cantora manda um recado para os que insistem em manter um rótulo por preconceito: “Para quem, ainda no século 21, se pergunta o que uma funkeira de 25 anos cheia de plásticas que rebola a bunda tem para dizer numa revista de negócios: Se pergunte o que faz um empresário para criar um produto de destaque no país que sobreviva por mais de 5 anos em ascensão. Se pergunte o que um empresário faz para pagar seus impostos e tocar seu negócio respeitando as leis complicadíssimas do Brasil e ainda assim obter lucro no final. Se pergunte como um empresário faz para sobreviver a tempos de crise mantendo as dezenas de empregos que gera”.

Foto: Reprodução/Instagram

“Se pergunte como você faria isso se tivesse nascido em um ambiente de pouquíssimas oportunidades, muito preconceito, dificuldades e competitividade. Se pergunte como fazer isso dos 18 aos 25 anos de idade. É sobre isso que falo na revista”, finalizou.

Deixe seu comentário