Advogada de Najila Trindade acaba de abandonar o caso, diz colunista

É o segundo profissional a abandonar a acusação contra Neymar

Por: Alefy Soares | 06 junho - 16:45

De acordo com a colunista Sonia Racy, a advogada que representa Najila Trindade na acusação de estupro contra Neymar, Yasmin Pastore Abdalla, decidiu deixar o caso na tarde desta quinta-feira (06). A acusadora já havia sido deixada pelo seu primeiro advogado, Danilo Garcia de Andrade.

Danilo decidiu deixar a sua cliente após Najila ter mudado acusação de agressão para estupro. Segundo o primeiro advogado, todo o argumento de defesa havia sido construído para que ela fosse representada no juri contra o jogador por ter sido supostamente agredida.

Foto: Reprodução/SBT

Até o fechamento desta matéria, Yasmin não se pronunciou sobre o caso.

VEJA TAMBÉM

Hana explica declaração polêmica sobre Neymar: “Entendo que a palavra ‘estuprador’ assusta”

Supostas fotos dos machucados no bumbum de mulher que acusa Neymar de estupro são divulgadas

A entrevista

Najila cedeu entrevista cedida ao SBT Brasil detalhando como aconteceu o suposto estupro e afirmando que o jogador teria ficado agressivo quando ela disse que só faria a relação se ele colocasse camisinha.

“Quando eu cheguei lá, ele estava agressivo. Totalmente diferente do cara das mensagens. Mas como eu tinha muita vontade, a gente começou a trocar carícias e etc. Mas depois ele começou a me bater. Começou a me machucar muito. E eu falei: ‘para, está doendo’”, contou.

“Eu pedi para ele colocar o preservativo. Ele disse que não tinha e eu disse que nada iria rolar. Mas ele continuou. Ele me virou, fez o ato e continuou batendo na minha bunda”, explicou.

Segundo Najila, a relação deixou de ser consensual quando ele ignorou o seu pedido para que colocasse camisinha. “Eu estava preparada para o ato consensual. Mas se tornou um estupro a partir do momento em que ele começou a ficar violento e quando ele não entendeu que não poderíamos ir além porque não tínhamos preservativo”, disse.

Foto: Reprodução/Instagram

“A partir do momento que ele me segurou violentamente, ele me obrigou. Não é só porque eu estava a fim de ficar com ele que ele tinha o direito de fazer isso comigo”, afirmou.

“Quando ele acabou, eu levantei e fui para o banheiro. Eu fiquei estarrecida. Eu não consegui chorar nem falar nada. Fiquei em estado de choque. Eu tive algum tempo para pensar. Sabia que se eu não falasse com ele normalmente, eu não iria conseguir provar que ele fez aquilo comigo”, finalizou.