“Acho meio fascista”, diz Alessandra Negrini sobre cultura do cancelamento

Em participação no podcast 'Novela das 9', atriz refletiu sobre as críticas que recebeu por se vestir de indígena no carnaval de 2020

Por: Karen Ramos | 23 agosto - 17:59

Alessandra Negrini, em participação no podcast Novela das 9, refletiu sobre a cultura do cancelamento ao relembrar as críticas que recebeu após se vestir como indígena no carnaval de 2020, fazendo um protesto a favor dos povos.

“Não sou a favor. Como diria Nelson Rodrigues, toda unanimidade é burra. Essas coisas precipitadas da internet levam a equívocos. O cancelamento surgiu como uma ferramenta importante de balizar as pessoas e falar: ‘Não, você não pode fazer isso, isso é horrível'”, apontou.

“Ele tem seu valor nesse sentido”, conta a atriz de 50 anos. “Mas virou algo impositivo, virou um instrumento de violência. Então tem que ter sempre o diálogo na própria narrativa. Você tem uma narrativa, mas tem que pensar os prós e os contras na própria narrativa.”

“O que tem acontecido no cancelamento é que ninguém para pra pensar. Eu acho meio fascista o processo do cancelamento, na verdade”, criticou.

Recentemente, Alessandra Negrini aproveitou para renovar seu bronzeado e compartilhou o momento relaxante com seus seguidores do Instagram. A atriz surgiu na piscina ao ar livre e exibiu toda sua boa forma impressionantes aos fãs. “É gente, sextou”, escreveu ela na legenda.

LEIA MAIS:

Ex-namorada de Whindersson Nunes esclarece sobre casa alugada: “Estou aqui sozinha”

Xuxa tem audiência marcada após registrar queixa-crime e motivo surpreende web

Confira tudo que rolou no mundo dos famosos:


Inscreva-se no BOMBOU!

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você