“O Predador” consegue manter a essência do original e trazer um bom humor à trama

Filme já está em exibição nos cinemas do Brasil

Por: Gabriela Orsini | 15 setembro - 3:58 PM | comentários

“O Predador” é o mais novo filme da franquia do extraterrestre, mas não vá assistir pensando nos clássicos. deixa a mente aberta para conhecer esse novo enredo e ritmo da história do predador.

O longa começa mostrando a queda da nave aqui na Terra, e na sequência o soldado Quinn McKenna (Boyd Holbrook) faz contato com o predador. Mas uma agência quer elimina-lo, para que o mundo não fique sabendo que invadiram o planeta, então McKenna é encaminhado para uma unidade de loucos do exército.

Enquanto isso, a dra. Casey Brackett (Olivia Munn) é chamada por Traeger (Sterling K. Brown) para estudar o predador, que foi capturado, e entender mais sobre a criatura. Ao mesmo tempo em que Rory (Jacob Tremblay), o filho de Quinn, recebe o equipamento que seu pai roubou do extraterrestre e começa a estuda-lo.

Quando o clima já está bem tenso com o predador que já conhecemos, com algumas mudanças, um mais evoluído ainda aparece para destruir qualquer esperança de vitória. Todos os lados devem se unir para lutar contra um inimigo em comum, e tentar salvar a Terra.

Nesse sentido, o filme aborda essas questões de aquecimento global e como os humanos estão destruindo o planeta aos poucos de uma forma bem sutil, mas que deixa martelando na cabeça depois de ver o filme. Mas essa parte pode acabar ficando em terceiro plano, com tanta coisa acontecendo da tela.

Sem perder o suspense e cenas cheias de sangue do clássico, “O Predador” consegue introduzir o humor de uma forma que não soe muito forçado, mas como se risse dos próprios absurdos. São tiradas satíricas do próprio enredo, além de muitas referências ao passado da franquia.

A maior crítica que fica é a falta de mulheres. Apesar de Olivia Munn não ficar no clichê do ‘sexo frágil’ ou apenas par romântico, ela é a única uma cientista do grupo, e se enfia na floresta com arma na mão pronta para encarar o predador igual seus colegas. Mas porque só uma mulher em meio a tantos homens?

Vale lembrar que “O Predador” não é um remake, é uma continuação dos filmes que já foram feitos, e, apesar de se perder um pouco no próprio roteiro, é um bom filme para conhecer um novo lado dessa história e se divertir.

Confira o trailer:

Deixe seu comentário

Mais lidas

Recomendadas para você