“Legalize Já” emociona com história de amizade que fundou a banda Planet Hemp

Cinebiografia encanta com roteiro cativante e atuações incríveis

Por: Marielle Rojas | 19 outubro - 9:07 PM | comentários

Em um momento politicamente conturbado em que vive a sociedade brasileira, o longa “Legalize Já” se mostra mais do que necessário. A cinebiografia dirigida por Johnny Araújo e Gustavo Bonafé, conta a história da banda carioca Planet Hemp, mostrando a amizade de Marcelo D2, interpretado por Renato Góes, e Skunk, Ícaro Silva, que deram origem ao grupo.

O filme é muito bem ambientado no Rio de Janeiro no início dos anos 1990 e também retrata a dificuldade das classes mais baixas da sociedade. Apesar da história se passar há 20 anos, os problemas sociais continuam atuais. Policiais reprimindo negros da periferia e repressão contra camelôs são alguns dos temas abordados.

Foto: Divulgação

Ao contrário do que se imagina, Marcelo não é o centro do filme. A trama é bem dividida entre os personagens e mostra que Skunk foi o responsável por introduzir  D2 na música, sem ele Planet Hemp jamais existiria.

Apaixonado pelo som, Skunk vivia vendendo fitas gravadas com músicas. O misticismo em volta dele é envolvente sem cair em clichês. Os dois se conheceram durante uma ação da polícia onde Marcelo era camelô e vendia camisas de bandas para parar o aborto de sua namorada e o aluguel, já que seu pai estava o colocando para fora de casa.

É nesse momento que Skunk descobre suas rimas e muda completamente sua história. Marcelo embarca no sonho do novo amigo, que coloca melodia em suas  letras leva o som para a rádio, acreditando em seu talento. No entanto, ele morreu precocemente, em 1994, em decorrência de AIDS, quando o grupo começava a fazer sucesso.

Apesar de “Legalize Já – A Amizade Nunca Morre” ser contado pelo ponto de vista de Marcelo, a trama é totalmente imparcial até na hora das brigas entre os dois, fugindo o óbvio. O tom esmaecido, quase preto e branco, dá ainda mais frieza ao filme com duas incríveis atuações de Renato Góes e Ícaro Silva.

A cinebiografia soa como uma homenagem a Skunk e seu talento que se foi precocemente e prova que a “Amizade Nunca Morre”.

Assista ao trailer:

Deixe seu comentário