Brie Larson, Sandra Bullock e Jessica Chastain falam sobre empoderamento feminino da CCXP

As atrizes participaram do evento realizado em São Paulo divulgando seus filmes

Por: Marielle Rojas | 10 dezembro - 5:16 PM | comentários

Muitos dos filmes divulgados na CCXP 18 tem como protagonistas mulheres fortes e empoderadas. Claro que elas não deixaram o lado  ‘girl power’ de lado e falaram sobre a importância e a força de suas personagens.

A primeira a ressaltar o assunto foi Jessica Chastain, a vilã de “Fênix Negra”. “Eu queria ver mais mulheres chutando bundas. Este filme foca nas ‘X-Women’, e acho que isso é muito bom”, ela brincou. “Sempre disseram que as super-heroínas mais fortes estão nos X-Men, e isso é refletido em Fênix Negra e também neste palco”, disse ela, após a exibição de 15 minutos do filme.

Sophie Turner e Jessica Chastain no painel de “Fênix Negra” | Fotos: Francisco Cepeda/AgNews

Vem ver os estandes imperdíveis da CCXP 2018

Outra a abordar o tema foi Brie Larson, a Capitã Marvel. Durante o painel que mostrou cenas exclusivas do filme, a atriz mostrou o lado mulher da heroína. “Capitã Marvel é a personagem mais forte do Universo Cinematográfico Marvel. E ela já era poderosa antes mesmo de ganhar poderes. Eu tive sorte de ter sido contratada dois anos antes de tudo começar. Fiz aula de taekwondo e jiu jitsu. Fiz nove meses de preparação física, conseguindo levantar mais de 100 quilos, empurrei até um jipe. Li quadrinhos e me preparei muito. E, mesmo assim, tive duas dublês. Ou seja, são necessárias três mulheres para demonstrar o poder dela, pois Carol adora lutar. Vê prazer nisso.”

Brie Larson na CCXP 18 | Fotos: Francisco Cepeda/AgNews

Sandra Bullock também esteve no Brasil para divulgar seu primeiro longa na Netflix, “Bird Box”. Durante a entrevista, a atriz falou sobre a força da maternidade, retratada no filme. “Geralmente as mães são mágicas em filmes, mas todo mundo que conhece a experiência de ser uma mãe sabe que é como ser uma guerreira. Você tem que fazer parecer que tudo está bem mesmo quando você está petrificada por dentro. Nós já vimos muitas mães em filmes, mas acho que nunca da forma que elas são: duronas”, disse Sandra Bullock sobre o distanciamento emocional da sua personagem durante o começo do filme”.

Ela ainda contou sobre a experiência de ser dirigida por uma diretora mulher. “Eu não vejo diferença entre uma vagina e um pênis quando estou trabalhando. Eu amo um diretor que é destemido no que faz. Susanne sabia logo de cara o que queria, ela deu o tom no set no início. Ela estava muito centrada. Ela adora intimidade. Não a intimidade sexual, mas do relacionamento real entre duas pessoas. Isso não é uma coisa de homem ou mulher, mas nesse caso nossa diretora era mulher e eu amei”.

Netflix, CCXP18, December 2018
(L-R) Dylan Clark, Sandra Bullock, and Trevante Rhodes

Deixe seu comentário