“Alita: Anjo de Combate” tem qualidade impecável, mas peca no roteiro

Filme estreia nesta quinta-feira (14) no Brasil

Por: Gabriela Orsini | 14 fevereiro - 19:05

“Alita: Anjo de Combate” foi inspirado no mangá de mesmo nome, que conta a história de um futuro distópico onde seres humanos e androides convivem em harmonia. Inclusive a maioria dos humanos tiveram partes do corpo substituídas por peças mecânicas.

Dr. Ido encontra o core de Alita no lixão, e ao perceber o cérebro humano dela ainda está vivo, leva para casa com a intenção de reconstruí-la. Mas ela não se lembra de nada de seu passado, e apesar de seu salvador insistir para que ela aproveite a chance de começar do zero, ela não quer desistir de lembrar de quem era.

Por se tratar de um futuro extremamente tecnológico, o filme contém muitos efeitos e CGI, incluindo na protagonista. E o trabalho foi muito bem feito pela produção, sendo essa uma das melhores partes de “Alita”, que consegue trazer a sensação de realidade mesmo com tantas camadas de efeitos visuais.

Mas o roteiro parece querer acelerar a história e acaba deixando personagens e as relações entre eles um tanto rasas. Apesar de ótimos atores no elenco, como Christoph Waltz, Mahershala Ali e Jennifer Connelly, pode ser difícil se conectar com os personagens pela falta de tempo que eles têm para fazer esse link com o público.

“Alita: Anjo de Combate” é uma história que pode render mais filmes por seu enredo com muito a contar, tanto no passado quanto para o futuro, mas tudo deve depender de como o longa se sairá nas bilheterias ao redor do mundo. A qualidade é inegável, mas talvez devesse focar um pouco mais em aprofundar os personagens e ir com mais calma na sequência de eventos.

Estreando nesta quinta-feira (14) nos cinemas de todo o Brasil, confira o trailer de “Alita: Anjo de Combate”:

Deixe seu comentário

Mais lidas

Recomendadas para você