Witzel afirma ser alvo do impeachment após incomodar “máfia da saúde” no Rio

O governador afastado é réu por desvio de recursos na saúde do estado

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 17 março - 17:27

Acusado de participar de um suposto esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na saúde, o governador afastado do Rio, Wilson Witzel (PSC), defendeu nesta quarta-feira (17) os órgãos de fiscalização de sua gestão e atribuiu a culpa de seu impeachment à “máfia da saúde”. Witzel também acusou Edmar Santos, seu ex-secretário de Saúde, de roubar R$ 18 milhões. 

Em uma entrevista para o site UOL, o governador afirmou: “A polícia civil no meu governo é independente, por isso todas as investigações têm incomodado muita gente. Uma das máfias mais fortes é a máfia da saúde”.

governador afastado Wilson Witzel

Foto: Reprodução/Agência Brasil

As críticas à PGR são feitas em volta do fato que a denúncia foi baseada na delação premiada de Edmar Santos. Ao Ministério Público Federal, o ex-secretário definiu o governador afastado como líder da organização criminosa acusada de desviar dinheiro destinado ao combate da pandemia. 

As acusações contra Wilson Witzel e sua esposa, Helena Witzel, foram aceitas pelo Superior Tribunal de Justiça em 11 de fevereiro e desde então, o governador afastado é réu por participar de esquemas de desvios na saúde no estado do Rio de Janeiro.

LEIA MAIS:

Prefeitura do Rio de Janeiro deve desocupar prédios irregulares em Muzema

Em uma semana, busca por leitos de UTI no Rio de Janeiro aumentam 39%

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você