Vereadores recebem inquérito contra Jairinho e pedido de cassação deve ser unânime

Uma nova reunião está marcada para segunda-feira (26) e o suspeito de torturar Henry deve ser proibido de exercer cargo político

Por: Aline Bueno Silvestre | 21 abril - 20:54

Nesta quarta-feira, os vereadores do Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro receberam o inquérito contra o vereador Dr. Jairinho (afastado do Partido Solidariedade), suspeito de torturar Henry Borel, filho de sua namorada Monique Medeiros.

Um novo encontro deve acontecer na segunda-feira (26) e a cassação deve ser apresentada. O presidente do Conselho, Alexandre Isquierdo (DEM), diz que o documento deve ser assinado por todos, com votos unânimes.

Vereadores do RJ recebem inquérito contra Jairinho do caso Henry

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O vereador Chico Alencar (PSOL) comparou o caso com a situação da Flordelis, que está comparecendo nas sessões do Congresso Nacional de tornozeleira eletrônica. “Uma situação como a de Flordelis não se repetirá na Câmara Municipal”, afirmou.

Dr. Jairinho foi preso e afastado do mandato temporariamente. Ele foi desligado da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro. Além disso, ele possui um novo advogado após o antigo abandonar o caso. Entenda.

*Com informações do G1.

O caso Henry

A suspeita é que Henry, de 5 anos, tenha sido assassinado em 8 de maio. Jairinho é acusado de torturar o menino, com a mãe, Monique Medeiros, sabendo de todas as ações.

Os dois moravam juntos e Henry tinha acabado de ser deixado por seu pai na casa de Jairinho e Monique. O menino morreu na madrugada, chegando ao hospital já sem vida e com 23 hematomas pelo corpo. O casal foi preso em 8 de abril.

LEIA MAIS:

Caso Henry: Polícia não deve ouvir novo depoimento da mãe do garoto, Monique Medeiros

Caso Henry: Faxineira relata à polícia versão diferente da que foi dada pela mãe do menino

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você