Um dia após declaração de Guedes, ministro das Relações Exteriores diz que China é ‘parceiro chave’ contra Covid

Segundo Carlos França, as relações entre Brasil e China não foram afetadas pela declaração do ministro que afirmou ontem (27) que a china 'inventou' o vírus da covid-19

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 28 abril - 16:31

Nesta quarta-feira (28) o novo ministro das Relações Exteriores, Carlos França, afirmou que a China é um “parceiro-chave” do Brasil no combate à pandemia de covid-19.O ministro deu a declaração em uma audiência da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados. 

Na terça-feira (27) o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em uma reunião que os vírus da covid foi inventado pelos chineses e que a vacina contra a covid, Coronavac é ‘menos efetiva’ que a vacina desenvolvida pelos Estados Unidos, Pfizer/BioNTech. Depois, disse ter usado uma “imagem infeliz” ao mencionar o tema. 

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, em pronunciamento

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, em pronunciamento; Foto: Agência Brasil/Divulgação

“A China é, ninguém ignora, outro parceiro-chave nesta matéria [combate à pandemia]”, afirmou França durante a audiência. A vacina Coronavac é desenvolvida pelo laboratório chines Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e é responsável por cerca de 80% das pessoas imunizadas no Brasil – o próprio ministro foi vacinado com ela.  

Em outro ponto da audiência, França deu a entender que Guedes já ‘esclareceu’ sua fala e que a declaração do ministro não ‘prejudica em nada’ as relações entre o Brasil e a China. 

“Tenho excelente relação com o embaixador da China. Estamos tratando da aceleração da vinda de IFA [insumos farmacêuticos ativos] ao Brasil. O chanceler da China foi o primeiro a falar comigo depois da posse. O chanceler chinês prometeu ajudar a trazer ao Brasil parte do estoque da vacina da Sinopharm, tão logo o Brasil possa aprovar isso. Nossa relação não se afeta por esse comentário”, disse França. 

Segundo o ministro, a China “afiançou’ que em maio e junho haverá aumento da produção de IFA pelo país e que o Brasil  monitora a situação para receber o insumo necessário para produzir as vacinas contra o coronavírus 

Relações comerciais

De acordo com o ministro, a China é o principal parceiro do Brasil desde 2009 e as relações comerciais entre Brasil e China “têm se caracterizado por seu notável dinamismo”. 

“Desde 2009, a China é o principal parceiro comercial do Brasil e tem sido uma das principais fontes de investimento externo no país. O relacionamento vai além da esfera bilateral: Brasil e China têm mantido um diálogo também em mecanismo como BRICS, G20, OMC e BASIC (Articulação entre Brasil, África do Sul, índia e China na área do meio ambiente)”, afirmou o Itamaraty em um texto publicado no site oficial.

LEIA MAIS

Ministério da Saúde afirma que, segunda dose deve ser tomada mesmo após o prazo

Presidente da CPI indaga ‘quem é’ Guedes para criticar vacina chinesa e o chama de ‘pitaqueiro’

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você