Renan Calheiros disse que governo está “apavorado” e que segue tentando afastar ele da relatoria da CPI

Parlamentares aliados do governo alegam que Calheiros pode ser tendencioso no direcionamento da investigação.

Por: Larissa Placca | 24 abril - 13:23

O senador Renan Calheiros (MDB-AL), favorito para ser o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, disse nesta sexta-feira (23) que o governo ainda tenta afastá-lo da função.

Parlamentares aliados do governo alegam que Calheiros pode ser tendencioso no direcionamento da investigação, isso porque ele é pai de Renan Filho (MDB), governador de Alagoas, que pode vir a ser investigado da comissão para justificar repasses federais no estado. (Veja mais abaixo)

O senador Renan Calheiros em sessão

O senador Renan Calheiros em sessão; Foto: Agência Brasil/Divulgação

O senador Marcos Rogério (DEM-RO), um dos nomes apoiados pelo governo para assumir a relatoria ou a presidência da CPI, questionou a possibilidade de Calheiros relatar os trabalhos por parentesco com um dos investigados.

“Eu não gostaria de ver o Flávio Bolsonaro relatando a CPI. Agora, do mesmo jeito que eu acho que não é ideal o filho do presidente ser relator, o filho ou o pai de algum possível investigado, ainda que indiretamente, não é adequado”, afirmou a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP).

Já Renan Calheiros disse que Zambelli quer “atrasar o andamento da CPI”. Zambelli entrou com uma ação na Justiça Federal para impedir que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) seja o relator da CPI da Covid.

Renan Calheiros se posicionou sobre o questionamento pelas redes sociais, dizendo: “Desde já me declaro parcial para tratar qualquer tema na CPI que envolva Alagoas. Não relatarei ou votarei. Não há sequer indícios quanto ao estado, mas a minha suspeição antecipada é decisão de foro íntimo”, disse o senador na sexta-feira (24).

Renan afirmou que sempre deixou claro que se houvesse algo a investigar de Alagoas “designaria outro relator para o caso” e que sua declaração não significa “jamais” a retirada de sua candidatura. “Fiz isso para afastar qualquer hipótese de suspeição [tendenciar a investigação] depois, como aconteceu com o [Sérgio] Moro”, declarou.

Os senadores escolhem na próxima terça-feira (27) o presidente, vice e o relator da CPI. Os cotados para as posições são Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Renan Calheiros, respectivamente.

A confirmação dos cargos será feita através de uma votação secreta na primeira reunião da Comissão. Votam os onze membros da comissão pelo presidente, e este, quando eleito define o relator da CPI.

Veja a lista de nomes que serão investigados pela CPI da Pandemia; Guedes, Pazuello e Araújo estão entre eles

De acordo com os dados de votações e declarações, dos 11 integrantes da comissão, apenas quatro mantém posicionamento claro pró-governo Bolsonaro.

O que é a CPI?

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19 deve investigar erros e omissões do governo federal ao coordenar a pandemia da doença no Brasil. Além disso, deve ouvir todos os Ministros da Saúde que passaram pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido), atual presidente do país. Henrique Mandetta deve ser o primeiro.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Orçamento 2021: Saúde tem 53 bilhões a menos que em 2020, primeiro ano da pandemia

Parlamentares criticam entrevista de Wajngarten culpando Pazuello pela Pandemia: “prova do desespero de Bolsonaro”

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você