OCDE cria grupo especial para analisar corrupção no Brasil

Especialistas em Economia apontam que o país retrocedeu no combate ao sistema corrupto

Por: Leonardo Fernandes | 22 março - 08:07

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) fará uma reunião em outubro para discutir e avaliar os índices de corrupção presentes no Brasil. A decisão foi tomada para analisar se o país merece, ou não, adentrar o grupo de países mais ricos da organização; e o governo tem sete meses para reforçar o combate ao desvio de dinheiro e às práticas ilegais.

Caso o Brasil não apresentar medidas mais expressivas na luta contra o sistema corrupto, que ameaça a economia nacional como um todo, sua entrada na seleção das grandes economias não irá acontecer. De acordo com a OCDE, a diminuição na força das investigações da Lava Jato, e a possível proteção dada à família Bolsonaro na Lei foram dois dos motivos para a resolução da reunião.

Agente da polícia federal perto de veículo

Lava-Jato, família Bolsonaro e demais investigações ao sistema corrupto brasileiro estão como foco da OCDE. Foto: Fotos Públicas / Reprodução

A investigação prejudica o Brasil na conquista de espaço na Organização. Apesar de ter os Estados Unidos como incentivador, e a OCDE não poder aplicar nenhuma medida prática por conta disso, a imagem do país em cenário internacional pode ser atingida.

De acordo com o professor de política pública da Ibmec, Eduardo Galvão, o Brasil está tentando entrar no grupo elevado da OCDE desde 2017. “Para entrar, o país tem que se adequar a alguns padrões internacionais, como os de governança, que entra na questão da corrupção”, disse Galvão. Além disso, o governo brasileiro também precisa desenvolver os setores da saúde, educação e serviços públicos para compatibilizar com o bloco.

Qual seria o benefício dado ao Brasil na OCDE?

Caso o Brasil conseguisse a vaga, o país receberia investimento internacional com maior facilidade, além da obtenção de empréstimos de maneira mais fácil com os países de fora. O diálogo no cenário internacional seria melhor, e a imagem da economia brasileira seria encarada de forma mais positiva.

Apesar disso, o índice de percepção da corrupção no Brasil ainda é baixo. Em 2020, a média divulgada pela Transparência Internacional foi de 38 pontos no índice, enquanto os países da OCDE tem média acima de 60. O número tende a diminuir por aqui.

*Com informações do Correio Braziliense

Leia mais notícias:

Bolsonaro quer garantir foro privilegiado a Pazuello antes de substituição

Putin pede negociações abertas com Biden após declaração do presidente norte americano

Confira os últimos acontecimentos no estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você