Ministro do STF se opõe à Pacheco: “Eu tenho tido sessões presenciais? Não; A internet, meu Deus do céu!”

Para Pacheco, a CPI deve ser presencial para análise de provas, depoimento de testemunhas e elaboração de laudos. Porém, o ministro Marco Aurélio se contrapôs

Por: Larissa Placca | 10 abril - 13:37

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, pediu que as sessões da CPI da Covid sejam através de videoconferência como solução para evitar aglomerações.

O ministro Barroso determinou a abertura da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia pelo Senado Federal e julgou que a Presidência do Senado não tem a direito de deixar de instalar pedidos de CPIs que preencham todos os pré-requisitos técnicos. Leia mais.

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, em sessão

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Mello, em sessão; Foto: Agência Brasil/Divulgação

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), disse que, devido a pandemia e a necessidade de distanciamento social, ele não teria criado a CPI, apesar da pressão do Congresso e do número mínimo de assinaturas recolhidas para por em pauta a Comissão. Leia a matéria completa.

Para Pacheco, a CPI deve ser presencial para análise de provas, depoimento de testemunhas e elaboração de laudos. Porém, o ministro do STF se contrapôs, dizendo:

“Eu tenho tido sessões presenciais? Não, por videoconferência. É o meio hábil para evitar a aglomeração e o contato físico. A internet, meu Deus do céu, apresenta múltiplas facetas viabilizando o trato das matérias”, diz Marco Aurélio.

Leia as últimas notícias sobre a CPI da Pandemia

Senado já tinha o número de assinaturas necessárias para a CPI da Pandemia; Veja quem são os senadores a favor da investigação do Governo:

Barroso responde acusação de Bolsonaro e afirma que consultou demais ministros para abrir CPI

Senador prepara pedido de impeachment de Barroso por interver no Legislativo ao decidir a instalação da CPI no Senado

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) se pronunciou sobre a criação da CPI. “A CPI não nasce à toa. Tem de ter um fato determinado e tem de ter as assinaturas. E ela tem de ter a ocasionalidade. Eu comungo da ideia de que esse momento não é momento de se encontrar culpados, de se apontar o dedo para ninguém”, disse.

O que é uma CPI:

Comissão Parlamentar de Inquérito é uma investigação conduzida pelo Poder Legislativo, que transforma a própria casa parlamentar em comissão para ouvir depoimentos e tomar informações diretamente, quase sempre atendendo a reclamações do povo.

A CPI da Pandemia investigaria crimes governamentais na atuação da Pandemia.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Presidente do BC diz que o impacto da segunda onda pode ser maior na saúde, mas que a economia já aprendeu a conviver com isso

Sem Ernesto Araújo, Governo brasileiro tenta se reaproximar da China

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você