Lava Jato: ex-diretor da Petrobras é condenado a 3 anos e meio de prisão

Renato Duque foi condenado por lavagem de dinheiro e deve cumprir pena em regime aberto

Por: Maria de Toledo Leite | 08 abril - 18:04

Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, foi condenado a três anos, ses meses e 23 dias de prisão, por crimes de lavagem de dinheiro investigados na Operação Lava Jato. Ele cumprirá a pena em regime aberto e não poderá ter cargos ou funções públicas pelo dobro de tempo. A sentença foi dada no dia 26 de março pelo juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba.

Além disso, também foram confiscados R$ 69 milhões pelo magistrado. De acordo com a decisão, esse dinheiro, estava em nome das offshores Milzart Overseas Holdings INC e Pamore Assets INC, empresas abertas em territórios onde há menor tributação.

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Duque confessou ter cometido os crimes. O ex-diretor ainda renunciou ao direito sobre as contas em nome das offshores e deu outras informações sobre esquemas criminosos de outras pessoas, o que reduziu o tempo de sua pena em um terço.

O processo desta condenação veio de examinações em outras ações penais dentro da Lava Jato, que acabaram indicando que Duque praticou crimes envolvendo a Petrobras, gerando milhões de reais para o ex-diretor.

Duque ficou preso por cinco anos depois de condenações na Lava Jato e colocou tornozeleira eletrônica, sendo transferido para prisão domicilliar, em 2020.

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Doria é intimado a prestar esclarecimentos sobre vacinação em São Paulo

Petrobras destina R$ 76 milhões ao combate à covid-19

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você