Flávio Bolsonaro diz que Pacheco foi ‘ingrato’ por instalar CPI e não impedir Renan Calheiros de relatar

O senador fez críticas a suposta falta de critérios pelo fato de o presidente do Senado cumprir a determinação do ministro Barroso (STF)

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 27 abril - 14:15

Nesta terça-feira (27) o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) afirmou que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), foi ‘ingrato’ ao cumprir determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) para instalar a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid e, ao mesmo tempo, ignorar decisão proferida ontem, (26) pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal que procurava impedir Renan Calheiros (MDB-AL), de relatar a comissão.

“Quando houve a decisão do Barroso, Pacheco disse: ‘Decisão não se discute, cumpre-se’. Mas, passados alguns dias, a Justiça determina que Renan não pode ser relator, ele diz que não vai cumprir”, afirmou Flávio Bolsonaro.

Flávio Bolsonaro divulga que André Mendonça ou Humberto Martins podem ser indicados para Ministro do STF

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) em pronunciamento

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) em pronunciamento; Foto: Agência Brasil/Divulgação

Quando indagado se houve ‘ingratidão’ por parte de Rodrigo Pacheco – apoiado pelo Planalto à presidência do Senado – Flávio afirmou que sim. 

“Entendo que houve ingratidão e falta de consideração por parte do presidente da Casa. Deveria ao menos ter nos procurado para avaliar a conveniência da CPI. No mínimo, deveria ouvir o [líder do governo no Congresso] Eduardo Gomes (MDB-TO) para fazer a CPI presencial. Vários passos da CPI deveriam ser presenciais. Por que não atacar essa questão de ordem e esperar todos se imunizarem? Por que essa correria? Em um momento em que todas as comissões estão parada”, disse o senador. 

Horas depois da declaração do senador, o TRF-1 derrubou a decisão do RJ-DF e garantiu que Renan Calheiros poderia sim ser relator da Comissão Parlamentar de Inquérito. 

Pacheco disse que não iria cumprir decisão de juiz contra relatoria de Renan Calheiros na CPI da Covid

Rodrigo Pacheco, disse na segunda-feira (26)  que não vai acatar a decisão liminar que impede o senador Renan Calheiros (MDB-AL) de tomar posse como relator da CPI da Covid.

Para Pacheco, a escolha cabe somente ao presidente da Comissão, “por seus próprios critérios” e diz que “não admite interferência de um juiz”.

“Trata-se de questão interna corporis do Parlamento”, afirmou. A nota diz que a preservação da competência do Senado “é essencial ao estado de direito” e que a Constituição impõe “a observância da harmonia e independência entre os poderes”

Votação para presidente, vice e relator da CPI 

Foi definido nesta terça-feira (27) o presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, Omar Aziz (PSD-AM), eleito por maioria entre os membros da Comissão, e o opositor, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), foi eleito vice do colegiado. O primeiro recebeu oito votos de 11 votantes. O segundo, sete.

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi escolhido como relator da Comissão. 

A reunião foi aberta às 10h e, por volta das duas e meia, houve debates entre os parlamentares. Enquanto a base aliada questionou a possível indicação de Renan, a oposição afirmou que o senador não pode ter limitadas as suas prerrogativas parlamentares.

LEIA MAIS

Lira diz que Reformas Tributária e Administrativa serão aprovadas ainda neste ano, caso a CPI “não consiga atrapalhar”

Renan Calheiros ironiza lista com 23 acusações possíveis do governo para preparar defesa na CPI da Covid

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você