Filipe Martins presta depoimento e Polícia do Senado avalia indiciá-lo por gesto controverso

Assessor especial da Presidência foi acusado de racismo, após fazer gesto associado a símbolos de ódio

Por: Murilo Amaral Feijó | 07 abril - 18:59

Nesta quarta-feira (7), Filipe Martins, assessor especial de Assuntos Internacionais da Presidência, prestou depoimento à Polícia Legislativa do Senado. Segundo o Estadão, a corporação avalia indiciá-lo por fazer um gesto com a mão ligado a símbolos de ódio.

A Procuradoria Regional da República da 5ª Região protocolou, no último dia 27 de março, uma notícia-crime contra Martins. Ele é acusado de racismo após fazer um gesto controverso utilizado por supremacistas, durante uma sessão gravada do Senado Federal, no último dia 24 de março.

Filipe Garcia Martins Pereira reproduziu gesto durante reunião no Senado Federal.

Filipe Garcia Martins Pereira reproduziu gesto durante reunião no Senado Federal. Foto: TV Senado/Reprodução

No mesmo dia, Martins se defendeu em suas reses sociais e negou ter feito um gesto utilizado por extremistas: “Um aviso aos palhaços que desejam emplacar a tese de que eu, um judeu, sou simpático ao “supremacismo branco” porque em suas mentes doentias enxergaram um gesto autoritário numa imagem que me mostra ajeitando a lapela do meu terno: serão processados e responsabilizados; um a um”.

Caso seja indiciado pela polícia, Martins terá sua acusação encaminhada ao Ministério Público, que pode enviar uma denúncia à Justiça. O gesto feito por Filipe ainda é analisado.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Relatora diz que “há muita pressão” dos deputados para incluir bancários e setor corporativo na fila prioritária de vacinação

Bolsonaro promete esforço em privatizações

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo: