Em live, Bolsonaro diz que Forças Armadas podem ajudar na vacinação contra covid-19

O presidente também voltou a criticar o isolamento social adotado pelos estados e municípios

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 03 abril - 12:47

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) realizou uma live neste sábado (3) e afirmou que as Forças Armadas “estão à disposição para começar a colaborar com a vacinação da covid-19”. Segundo ele, “Todos os quartéis do Brasil têm essa condição, da Marinha, do Exército”. 

Na coletiva de imprensa que também ocorreu neste sábado, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também citou a possibilidade de os militares ajudarem na distribuição e na aplicação de vacinas, o ministro também voltou a comentar sobre a meta de vacinar um milhão de pessoas por dia. 

O presidente Jair Bolsonaro em coletiva;

O presidente Jair Bolsonaro em coletiva; Foto: Agência Brasil/Divulgação

De acordo com Queiroga: “A participação das Forças Armadas já existe no programa de vacinação. É só ampliar.”

Bolsonaro diz que o número de vacinados tende a crescer 

Ainda segundo o presidente, o número de vacinados por dia no Brasil tende a “crescer”. Bolsonaro afirmou “Compramos vacinas no ano passado, Não tinha tantas [vacinas] disponíveis. Por outro lado, no que se oferecia para gente, o contrato não era possível ser assinado daquela forma. Sempre falamos: entre o governo federal, o presidente, e a vacina, existe a Anvisa. Não tinha a aprovação da Anvisa.” 

Apesar de Bolsonaro colocar a culpa no órgão, em 2020 o presidente desautorizou publicamente a compra da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, do governo de São Paulo. 

Diretor da OMS diz que o povo brasileiro parece não estar preocupado com o contágio e as mortes

Críticas ao isolamento social 

Na live feita hoje, Bolsonaro voltou a criticar as medidas de restrição adotadas pelos estados e municípios. Segundo ele “Cada vez há mais desempregados. [Com] a política do fecha tudo, fica em casa, mais gente está comendo menos. Alguns passando necessidades seríssimas.

As medidas de isolamento adotadas pelos prefeitos e governadores é mais uma medida para tentar conter o avanço dos casos de covid-19 nos estados. 

Segundo dados do Ministério da Saúde, na sexta-feira (2) o Brasil chegou a registrar 2.922 mortes por Covid-19 e 70.238 casos da doença  

Devido ao colapso hospitalar enfrentado em todos os estados, o país também enfrenta problemas como o desabastecimento de oxigênio e dos chamados “kit intubação”, medicamentos usados em pacientes intubados com Covid-19.

LEIA MAIS

Oposição pede impeachment de Bolsonaro por suposto uso das Forças Armadas

Bolsonaro sobre Estado de Sítio “Eu não posso decretar. Quem decreta é o Parlamento.”

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você