Eduardo Bolsonaro volta a criticar medidas restritivas e defende a abertura de igrejas

Em entrevista, o deputado afirmou que prefeitos e governadores querem 'o caos'

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 06 abril - 17:15

Nesta segunda-feira (6) o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) voltou a defender a abertura de igrejas e a realização de cerimônias religiosas presenciais em meio a pandemia de coronavírus. Em uma entrevista à RedeTV, o parlamentar disse que “estamos vivendo uma guerra espiritual”, e por isso, a liberação desses espaços seria essencial.

Entenda por que cultos religiosos podem oferecer alto risco para Covid-19

“Esse tema da liberdade religiosa é um dos mais sensíveis. Não se pode relegar a algo secundário a salvação da própria alma. A igreja faz parte das rotinas para o bem-estar físico e espiritual. É importante dizer que estamos enfrentando também uma guerra espiritual. É importante que as igrejas estejam abertas, óbvio, tomando determinadas precauções.”, afirmou.

O Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) em sessão;

O Deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) em sessão; Foto: Agência Brasil/Divulgação

O deputado também voltou a criticar os governadores e os prefeitos, segundo Eduardo, eles “buscam o caos”. 

“O que temos visto são governadores e prefeitos que têm servido da pandemia para justificar suas medidas autoritárias, para tentar fechar igrejas, para tentar fazer o mal e levar o caos. O caos é terreno fértil para o socialismo. Quando eles decretam o caos e levam o desemprego e a fome, primeiro, eles colocam a culpa no Bolsonaro e depois vão posar de bons samaritanos ajudando os humildes.” disse o parlamentar. 

Seu pai, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem contestado a decisão de governadores que defendem as medidas de isolamento social e entrou com uma ação no STF para impedir – o documento foi negado pelo ministro Marco Aurélio Mello. 

Eduardo também falou sobre o tratamento precoce contra o coronavírus, que não tem eficácia comprovada contra a doença e não é recomendado por entidades de saúde, incluindo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Pior momento da pandemia

O país está vivendo o pior momento da pandemia até agora. Na sexta-feira (2) o Brasil registrou 2.922 mortes por Covid-19 e 70.238 casos da doença no Brasil. Com esses novos dados, o país soma mais de 328 mil vidas perdidas e 12.910.082 pessoas diagnosticadas com coronavírus.

Segundo dados do Our World in Data, site de pesquisadores da Universidade de Oxford, do Reino Unido, quase uma em cada quatro mortes por covid-19 no mundo é no Brasil. O país está entre um dos que mais possui mortos pela pandemia no mundo.  

LEIA MAIS

Conselho de Ética analisa representações dos Deputados Eduardo Bolsonaro e Daniel Silveira

Eduardo Bolsonaro fala que ditadura militar foi ‘vontade popular’

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você