Discurso de Bolsonaro na Cúpula do Clima gera comentários de parlamentares que apontam mudança na postura do presidente

Cúpula reuniu 40 líderes de diferentes nações e foi convocada por Joe Biden

Por: Maria de Toledo Leite | 22 abril - 18:16

Nesta quinta-feira (22), dia da Terra, foi feita a Cúpula do Clima, que reuniu líderes de 40 países e foi convocada por Joe Biden, presidente dos Estados Unidos. No evento, o presidente Jair Bolsonaro prometeu adotar medidas que reduzam as emissões de gases do efeito estufa e pediu “justa remuneração” por serviços ambientais prestados pelo país.

Seu discurso teve uma grande repercussão em todo o Congresso Nacional e entre especialistas, que apontaram a mudança de postura do presidente e disseram que as promessas não condizem com a atual política de meio ambiente adotada no país.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por outro lado, a senadora Kátia Abreu (PP-TO), presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, disse que a participação brasileira foi positiva e “sem exigências inoportunas de contrapartidas financeiras, que poderiam ser vistas como um ‘tomalá-dá-cá”. Abreu ainda mencionou a necessidade de relações maduras e justas na comunidade internacional.

Para ela, as metas de redução de emissões prometidas pelo presidente não são prejudiciais para o Brasil, mas buscam proteger a população e o planeta. “Podemos antecipar a meta brasileira para eliminação do desmatamento ilegal e avançar mais rapidamente, até 2025, com redução de nossas emissões”. Em seu comunicado, a senadora ainda afirma que irá propor um projeto de lei para que isso aconteça.

Carta de ex-ministros enviada à Cúpula do Clima afirma que “Bolsonaro estimula agentes da devastação”

Aécio Neves, o presidente da Comissão de Exteriores da Câmara, afirmou que houve uma mudança no tom de Bolsonaro, principalmente em relação ao fim do desmatamento ilegal e à redução da emissão de gases prejudiciais ao meio ambiente. “A participação do presidente Bolsonaro na Cúpula do Clima foi positiva, especialmente pela mudança no tom a respeito das preocupações mundiais com as mudanças climáticas e o desmatamento.”

Sem participação de Ernesto Araújo, Aécio e Kátia Abreu pedem ajuda à OMS para adquirir vacinas

Porém, o parlamentar completou, destacando a importância da nova postura ser acompanhada de “ações concretas e de um maior envolvimento e liderança nas negociações multilaterais ambientais.”

O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), disse que o discurso de Bolsonaro foi uma mistura de ousadia e contradição. Para ele, os compromissos assumidos pelo presidente em sua fala são “tão ousados quanto contraditórios como o que foi executado na política ambiental do país até aqui.”

LEIA MAIS NOTÍCIAS:

Salles afirma que Bolsonaro vai dobrar verbas para o Ministério do Meio Ambiente

OAB pede que Bolsonaro responda por mortes causadas por negligência na pandemia

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você