CPI da Covid pode se aprofundar sobre ‘fake news’ envolvendo vacinação

CPMI recebeu informações sobre páginas de Facebook que espalham informações falsas sobre as vacinas

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 28 abril - 18:40

Em uma entrevista à CNN, o presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, o senador Angelo Coronel (PSD-BA), afirmou que há um ponto ‘evidente’ em que a comissão que preside a CPI instalada ontem (27) no Senado sobre a pandemia de covid: a desinformação sobre  vacinação. 

Enquanto ainda estava funcionando, o grupo de senadores e deputados discutiu em fevereiro de 2020 um estudo da Sociedade Brasileira de Imunização – que mostrou que 7 a cada 10 brasileiros acreditam em informações falsas sobre vacinas. 

Plenário do Senado Federal

Plenário do Senado Federal; Foto: Agência Brasil/Divulgação

“Recebemos informações detalhadas sobre dois canais do YouTube e 7 páginas do Facebook que espalham mentiras sobre a eficácia de vacinas. O que a CPI pode se aprofundar é se páginas que pregavam contra a vacina. O que a CPI pode se aprofundar é se essas páginas que pregavam contra a vacina antes da pandemia fazem o mesmo com a  vacina contra o coronavírus”, disse Angelo.

Os senadores Alessandro Vieira, Randolfe Rodrigues e Renan Calheiros já apresentaram requerimentos pedindo compartilhamento de provas feiras na CPMI das Fake News. Para que o material seja compartilhado, é necessária aprovação por parte da CPI dos requerimentos apresentados.  “Se aprovado, vou deferir e entregar esse material sobre fake news e vacinar” afirmou o parlamentar.

LEIA MAIS

Em 24 horas, CPI da Covid soma mais de 170 pedidos de informação e convocação

Lewandowski será relator de ação que quer barrar Renan Calheiros da CPI da Covid

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:


Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você