Conselho de Ética afasta Deputado por assédio

Fernando Cury será suspenso por 119 dias; Decisão divide o Conselho

Por: Larissa Placca | 05 março - 22:05

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), nesta sexta-feira (5), votou o caso do deputado Fernando Cury. Cury é acusado de ter assediado a deputada Isa Penna (PSOL).

Através de votação, ficou decidida a suspensão do deputado por 119 dias. Neste tempo, Cury continuará recebendo os benefícios do mandato.

Foto: Divulgação/ Alesp

Agora, após votação do Conselho de Ética, a decisão vai a plenário, que deve decidir se vai acatar a punição total ou parcialmente.

O relator do caso, o deputado Emídio de Souza (PT), defendeu a cassação do mandato de Cury ao invés da suspensão por 6 meses.

Já o deputado Wellington Moura (Republicanos) votou pela “suspensão temporária do exercício do cargo e de vantagens decorrentes do exercício do mandato”. Além disso, Moura criticou em seu twitter a ação gerada pela deputada Isa Penna (PSOL).

Moura usou seu tempo de votação para defender Cury, expondo fotos dele com a família indicando sua integridade.

“Ele é pai, um deputado que é família, que é marido de uma só mulher. O deputado que eu conheço há 6 anos é uma pessoa que ama sua esposa. É um cara carinhoso. Foi excessivo, errou com a Isa Penna, mas é um cara que merece uma segunda chance como todos nós”, disse Moura.

A Deputada Erica Malunguinho (PSOL) criticou os Deputados que votaram pela punição branda e os chamou de machistas. Além disso, Erica usou as redes sociais para desabafar:

Os votos a favor da pena menor foram dos deputados Adalberto Freitas (PSL), Wellington Moura (autor do voto), Delegado Olim (PP), Alex Madureira (PSD) e Estevam Galvão (DEM).

Os deputados que votaram pela pena incisiva foram o relator Emídio Souza, a deputada Erica Malunguinho (PSOL), Barros Munhoz (PSDB) e a presidente Maria Lúcia Amaray (PSDB).

A Deputada Isa Penna também se posicionou com relação ao resultado da votação pela punição de Cury.

Em nota, Isa Penna afirmou que “Seguir remunerando um gabinete inteiro, seguir um mandato político. Isso é afago, é um presente. Seguir impune por um assédio”.

O caso ocorreu numa sessão na Casa em dezembro passado, Cury foi acusado de apalpar a psolista na altura dos seios, Isa Penna. A deputada denunciou como assédio e o deputado Fernando Cury nega o crime argumentando que foi na intenção de um “gesto de gentileza” uma sessão que ocorreu.

Assista ao momento da sessão:

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Major Olímpio é internado em UTI com covid-19

SP anuncia “operação de guerra” com retomada de hospital de campanha

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você