Carla Zambelli entrou com uma ação para impedir que Renan Calheiros seja o relator da CPI da Covid

Já o Senador disse que Zambelli quer "atrasar o andamento da CPI". "Eu não sigo essa senhora. Ela está bloqueada desde 2018."

Por: Larissa Placca | 19 abril - 22:46

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) entrou com uma ação na Justiça Federal para impedir que o senador Renan Calheiros (MDB-AL) seja o relator da CPI da Covid.

Pelas redes sociais, a deputada disse que tem o apoio de outros parlamentares que também ingressarão com ações para impedir a relatoria de Renan.

A deputada federal Carla Zambelli em sessão da Casa

A deputada federal Carla Zambelli em sessão da Casa; Foto: Agência Brasil/Divulgação

Zambelli disse ainda que a ação popular está na 2ª Vara Federal de Brasília. A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da Pandemia) tem o objetivo de investigar a gestão do governo federal e apurar eventuais omissões no enfrentamento da pandemia da Covid-19, além de apurar irregularidades no repasse de recursos federais a estados e municípios.

Calheiros é pai de Renan Filho, governador de Alagoas. O senador Marcos Rogério (DEM-RO), um dos nomes apoiados pelo governo para assumir a relatoria ou a presidência da CPI, questionou a possibilidade de Calheiros relatar os trabalhos por parentesco com um dos investigados.

“Eu não gostaria de ver o Flávio Bolsonaro relatando a CPI. Agora, do mesmo jeito que eu acho que não é ideal o filho do presidente ser relator, o filho ou o pai de algum possível investigado, ainda que indiretamente, não é adequado”, afirmou.

Já Renan Calheiros disse que Zambelli quer “atrasar o andamento da CPI”. “Eu não sigo essa senhora. Ela está bloqueada desde 2018. Está querendo atrasar a instalação da CPI. Precisamos parar o cronograma do morticínio e não temos tempo a perder com briga política, com obstrução, com postergação da instalação da CPI”, disse.

Conforme reportagem da Metropolitana, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi escolhido como relator da CPI da Covid. A comissão será presidida pelo senador Omar Aziz (PSD-AM) e o vice-presidente será o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A confirmação dos cargos será feita através de uma votação secreta na primeira reunião da Comissão. Votam os onze membros da comissão pelo presidente, e este, quando eleito define o relator da CPI.

De acordo com os dados de votações e declarações, dos 11 integrantes da comissão, apenas quatro mantém posicionamento claro pró-governo Bolsonaro.

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Um povo que vota no Lula merece sofrer, diz Bolsonaro a apoiadores

Alexandre de Moraes nega pedido de Witzel para paralisar impeachment

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você