Bolsonaro questiona função da CPI e acusa governadores e prefeitos de ‘roubo’ de dinheiro público

Em conversa com apoiadores o presidente voltou a defender a cloroquina como remédio eficaz contra a covid-19 e comentou sobre um aumento do Bolsa Família no segundo trimestre de 2021

Por: Marina Ponchio Gomes Ferreira | 28 abril - 14:54

Nesta quarta-feira (28) o presidente Jair Bolsonaro questionou novamente a função da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, instalada no senado ontem (27) no senado, e na conversas com apoiadores, acusou alguns governadores e prefeito de “roubaram e desviaram” dinheiro público, enviado pelo governo federal, destinado ao combate à pandemia. 

O presidente voltou a defender a cloroquina e disse que tomaria o medicamento caso fosse infectado com o vírus novamente – mesmo o remédio não tendo eficácia cientificamente comprovada contra a doença.

LEIA TAMBÉM

Segundo Anvisa, notificações de efeitos adversos da Cloroquina aumentaram em 558% de 2019 à 2020

O presidente Jair Bolsonaro em pronunciamento com apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro em pronunciamento com apoiadores; Foto: Agência Brasil/Divulgação

“A CPI vai investigar o quê? Eu dei dinheiro para os caras [governadores e prefeitos]. No total, foram mais de R$ 700 bilhões, com auxílio emergencial no meio. Muitos roubaram dinheiro, desviaram, e agora vem uma CPI querendo investigar a conduta minha? Ah, se ele foi favorável à cloroquina ou não. Se eu tiver um novo vírus, eu vou tomar de novo. Eu me safei em menos de 24 horas, assim como milhões de pessoas”, disse Bolsonaro.  

O presidente voltou a falar também dos recursos federais enviados aos estados e municípios e citou o estado do Rio Grande do Norte, governado por Fátima Bezerra (PT). 

“Eu tinha que orientar a não roubar? Respodam aí. Ou para não usar em outras coisas? No Rio Grande do Norte, pelo que me consta, R$ 900 milhões foram para pagar a folha de servidor atrasado. Por que foi a questão do lockdown lá atrás? Não foi para achatar a curva? Então, 1 ano achatando a curva?”, indagou. 

Aumento do Bolsa Família no segundo semestre de 2021

Quando questionado sobre os programas sociais em seu governo, Bolsonaro traçou um paralelo sobre os projetos realizados pelo PT (Partido dos Trabalhadores). “Só de auxílio emergencial, no ano passado, nós gastamos mais de 10 anos de Bolsa Família. Então, o PT, que fala tanto em Bolsa família, hoje a média é de R$ 182. O auxílio emergencial está em R$ 250, está pouco, eu sei que é pouco, mas é muito maior que a média do Bolsa Família. A gente pretende passar para R$250 agora em agosto ou setembro”, disse o presidente. 

Bolsonaro disse que um pronunciamento será feito no dia primeiro de maio, próximo sábado.

LEIA MAIS

Depois de reuniões com empresários, Bolsonaro vai se encontrar com mulheres executivas em SP

Flávio Bolsonaro afirma que CPI não deveria ser instalada porque reuniões podem causar aglomerações

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você