Bolsonaro nomeia presidente e sete diretores para mandatos fixos no Banco Central

Lei sancionada em fevereiro estabelece mandato de quatro anos para presidente do BC para evitar interferência política no órgão

Por: Marina Correa de Genaro | 20 abril - 15:52

Nesta terça-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro nomeou o presidente, Roberto Campos Neto, e sete diretores que terão mandatos fixos no Banco Central.

Em fevereiro, a legislação que estabelece a autonomia do Banco Central foi sancionada e estabelece uma série de regras, entre elas, o mandato de quatro anos para o presidente do BC, não coincidente com o do presidente da República.

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em coletiva de imprensa

Foto: Agência Brasil/Divulgação

Diretores também terão mandatos e todos podem ser reconduzidos ao cargo, uma única vez, por igual período.

O governo federal tinha 90 dias após a sanção da lei para nomear os diretores do Banco Central. Campos Neto já ocupava o cargo de presidente antes da oficialização do mandato.

Um dos objetivos da nova legislação é blindar o órgão de pressões político-partidárias.

Os diretores nomeados são:

  • Roberto Campos Neto (presidente) – mandato até 31/12/2024;
  • Fábio Kanczuk – mandato até 31/12/2021;
  • João Manoel Pinho de Mello – mandato até 31/12/2021;
  • Bruno Serra Fernandes – mandato até 28/02/2023;
  • Paulo Sérgio Neves de Souza – mandato até 28/02/2023;
  • Carolina de Assis Barros – mandato até 31/12/2024;
  • Otávio Ribeiro Damaso – mandato até 31/12/2024;
  • Maurício Costa de Moura – mandato até 31/12/2023;

LEIA MAIS

Bolsonaro veta projeto que alteraria regras para adoção de crianças e adolescentes

África: Presidente do Chade morre em campo de batalha, diz porta-voz do exército

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você