Alexandre de Moraes nega pedido de Witzel para paralisar impeachment

Witzel argumentou que não foi protocolada uma peça processual que exponha o fato criminoso do qual ele é acusado

Por: Marina Correa de Genaro | 19 abril - 16:01

Nesta segunda-feira (19), o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, negou um recurso apresentado pela defesa do governador afastado do Rio, Wilson Witzel, que tanta paralisar o andamento do rito de impeachment.

Witzel diz que não foi protocolada uma peça processual que exponha o fato criminoso do qual ele é acusado. Com isso, tenta evitar o julgamento previsto para acontecer até o final do mês, podendo levá-lo ao afastamento definitivo.

ministro do STF fazendo pronunciamento

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

“Julgo improcedente o pedido. Comunique-se, com urgência, ao Presidente do Tribunal Especial Misto do Estado do Rio de Janeiro. Por fim, nos termos do art. 52, parágrafo único, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, dispenso a remessa dos autos à Procuradoria-Geral da República. Publique-se, Intime-se”, disse Alexandre.

Na semana passada, Witzel apresentou mais uma ação ao STF, desta vez, reclamando da continuidade do seu processo de impeachment pelo TJ do Rio.

A defesa diz que as perguntas feitas a Witzel foram muito amplas e englobaram desde a atividade dele como advogado, até as doações de campanha.

Witzel diz ainda que o Tribunal Especial formado para julgar o seu impeachment já está na fase de alegações finais, e que sucederá um veredito “invariavelmente contaminado”. Há um pedido de liminar para sobrestar todo o procedimento acusatório.

LEIA MAIS

Supermercadistas lançam campanha nacional para doação de alimentos

Bancada feminina do Senado faz apelo à OMS por ajuda no enfrentamento da pandemia da covid-19

Confira os últimos acontecimentos no Estado de São Paulo:

Deixe seu comentário

BOMBOU!

Recomendadas para você